Home Notícias ABF em Ação O e-commerce na jornada da transformação digital no franchising

O e-commerce na jornada da transformação digital no franchising

0
O e-commerce na jornada da transformação digital no franchising
Andréa Kohlrausch (Calçados Bibi), Glauber Gentil (ABF) e Juliano Colares (Arezzo&Co) no painel sobre o e-commerce no franchising

O e-commerce é, sem dúvida, a atividade mais importante da jornada da transformação digital para o varejo e o franchising. O debate sobre como envolver o franqueado na venda on-line foi destaque da sessão de painéis da Convenção ABF do Franchising 2019.  Duas marcas que já estão operando a multicanalidade e a integração do on-line com o off-line compartilharam suas experiências e muitos insigths.

Andrea Kohlrausch, presidente da Calçados Bibi, ressaltou a importância de engajar os franqueados nessa jornada. E para isso nada melhor do que os resultados. Inicialmente, o e-commerce da marca era operado por um franqueado. Só em 2013 foi incorporado à empresa. A partir dessa data, várias iniciativas foram implementadas.

Após a adoção do conceito de Prateleira Infinita pela rede de franqueados – quando o franqueado vende dentro da loja um produto via e-commerce – as vendas cresceram 594% em apenas um ano. Já o projeto Compre no Site e Retire na Loja cresceu 66% e proporcionou um incremento de 46% em vendas para o franqueado, pois ao visitar a loja pra retirar o produto, o consumidor efetua novas compras.

Segundo Andrea, além da Prateleira Infinita,  a Bibi já opera os conceitos de click e retire, retire em loja, ship from store, entre outros, e tudo isso só foi possível depois da integração total dos sistemas de gestão da empresa. Inclusive, os preços, campanhas e promoções no canal on-line e off-line já estão totalmente integrados.

Além disso, um dos grandes benefícios dessa integração foi a possibilidade de facilitar o processo de troca de produtos. Hoje, o consumidor Bibi pode trocar seu produto em qualquer ponto de venda, independente do canal onde o mesmo foi adquirido. “Essa iniciativa zerou as demandas no SAC sobre o tema”, afirmou a executiva.

A mesma trilha está sendo traçada de forma muito acelerada pela Arezzo&Co. Com  seis marcas, o grupo já contabiliza 10% do faturamento de R$ 1,8 bilhões oriundo do e-commerce, uma taxa considerada bastante elevada.

No grupo, a adoção das práticas de integração dos canais digitais também trouxe aumento no faturamento do franqueado.

Segundo Juliano Colares, diretor da Arezzo&Co, a estratégia do grupo foi dividir com toda a rede o faturamento do e-commerce. Com isso, o franqueado teve um incremento médio de 6% no sua receita.

Foto: Keiny Andrade