Missão Comercial Estados Unidos-Brasil reúne empresários americanos na ABF

Inédita, Missão iniciou com Simpósio e seguirá até o próximo dia 23/9 com uma série de rodadas de negócios entre as dez redes participantes e investidores brasileiros.

Missão Comercial Estados Unidos-Brasil reúne grupo de empresários americanos na ABF
Embaixadora Liliana Ayalde (centro) ao lado de Claudio Tieghi, diretor da ABF (à dir.), com grupo de empresários dos Estados Unidos durante a missão

Com apoio da ABF e da International Franchise Association (IFA), o Serviço Comercial dos Estados Unidos – Consulado Americano abriu nesta quarta-feira, 21/9, a inédita Missão Comercial Estados Unidos–Brasil, na sede da Associação Brasileira de Franchising, em São Paulo. A iniciativa reúne dez redes de franquia norte-americanas que procuram investidores no Brasil. Destas, oito marcas desembarcam no Brasil pela primeira vez (Bonchon Franchise, Dairy Queen, Papa John’s, The Melting Pot, Wing Zone, World of Beer e Assisting Hands Home Care), duas buscam ampliar sua expansão (Carl’s Jr. e Coldwell Banker) e outra retornar ao mercado brasileiro (FASTSIGNS). A maior parte das redes, sete no total, são do segmento de Alimentação, sendo as demais dos segmentos de Comunicação Visual, Imobiliário e Saúde. O objetivo da missão é buscar máster franqueados, desenvolvedores de área e franqueados individuais interessados em representar as marcas norte-americanas no Brasil.

O evento vai até o próximo dia 23 com uma série de rodadas de negócios (matchmakings), totalizando 80 reuniões, entre os representantes das marcas norte-americanas e potenciais investidores brasileiros, contando com a participação das principais consultorias em franchising do País, associadas à ABF.

A programação deste primeiro dia começou com um simpósio aberto pela embaixadora dos Estados Unidos no Brasil, Liliana Ayalde. Para a diplomata, trata-se de uma “iniciativa que terá certamente resultados concretos”. “Estou muito entusiasmada com o setor. Além da situação fiscal e econômica difícil do país, é um setor que tem crescido (…) e a atividade de hoje sei que vai ter muitos resultados positivos.”

O Brasil é visto como um celeiro de oportunidades pela embaixadora. “É um país muito grande, achamos que tem oportunidades não somente nas cidades grandes, mas em cidades secundárias que têm uma demanda”, afirma. Segundo Liliana, os empresários norte-americanos estão também muito entusiasmos com o potencial do país. “Queremos o estabelecimento dessas empresas. Esperamos que após esta missão possamos contar com negócios concretos”, afirma.

Ainda de acordo com a diplomata, apesar do predomínio de marcas do segmento de alimentação, o grupo de franqueadoras participantes desta primeira missão é bastante diverso e revela o caráter criativo do sistema de franquias. “Sem dúvida a parte de alimentação tem tido mais abertura, mas tem alguns outros (segmentos), como o imobiliário, de saúde. O bonito do setor é que é muito criativo e que promove essa criatividade para entrar em nichos bastante desenvoltos”, observa.

Quanto ao intercâmbio de negócios, a embaixadora ressalta que a seção comercial dos Estados Unidos no Brasil é bastante ativa, oferecendo todo o suporte necessário para que empresas nacionais se estabeleçam no mercado norte-americano. “Tem muitas vantagens para empresas brasileiras irem para os Estados Unidos e nossa seção consular pode ajudar com contatos, informações sobre os estados, procedimentos, todo tipo de aspecto para que uma empresa brasileira possa ir para os Estados Unidos”, completa.

Altino Cristofoletti Junior, vice-presidente da ABF, deu as boas-vindas a todos os participantes e destacou que o trabalho conjunto de ambas as entidades promove o fortalecimento do franchising e gera boas oportunidades de negócios para os dois países.  “Este evento é um marco nos avanços que a ABF e a IFA têm feito para a promoção de um franchising cada vez mais forte. É também um exemplo concreto dos esforços de cooperação da entidade norte-americana para com o franchising do Brasil por meio da ABF, e da Associação para alavancar a presença de redes brasileiras nos estados unidos, tendo também o apoio da IFA. Nosso objetivo é  fomentar bons negócios e estimular o desenvolvimento sustentável do franchising  brasileiro”, afirmou. Congênere da associação brasileira nos Estados Unidos, a IFA é a primeira e a ABF, a segunda maior associação do setor de franquias do mundo.

André Friedheim, diretor internacional da ABF, apresentou um panorama do frachising brasileiro aos empresários norte-americanos. O executivo ressaltou que o setor faturou cerca de R$ 140 bilhões em 2015, registrando um crescimento de 8,3% no período e uma expansão de 10,1% em unidades, com 138.343 pontos de venda de franquia, e 4,5% mais redes, totalizando 3.073 marcas em operação no país.

Já Cândida Caffé, advogada do escritório Dannemann Siemsen, detalhou os aspectos legais do sistema de franquias brasileiro, cujo marco legal foi estabelecido por meio da Lei do Franchising (8.955, de 15 de dezembro de 1994).

Coordenado por Renato Sabaine, especialista em desenvolvimento de negócios do Serviço Comercial dos Estados Unidos, o simpósio contou, ainda, com a participação do cônsul geral dos Estados Unidos no Brasil, Ricardo Zuniga, de Josh Merin, diretor de relações internacionais da IFA, Rick Ortiz e Steve Knode, conselheiros comerciais do Serviço Comercial norte-americano. Coube a Knode explicar aos compatriotas as características e peculiaridades do mercado brasileiro. Segundo ele, três aspectos principais impulsionam o crescimento econômico do País: a expansão da classe média, os recursos naturais abundantes e o desenvolvimento da infraestrutura.