Com seminário e pesquisa de Food Service, ABF abre Franchising Week 2019

A 4ª ABF Franchising Week começou nesta segunda-feira, 24 de junho, com o 13º Seminário Setorial ABF Food Service. Exclusivo e gratuito para associados da entidade oficial do franchising brasileiro, o megaevento de conteúdo e networking conta com seminários, congressos e simpósio e deve reunir cerca de 2 mil pessoas no Expo Center Norte, em São Paulo, até o dia 28. Apenas o Seminário de Food Service atraiu cerca de 400 pessoas.

Transmitindo uma mensagem otimista, André Friedheim, presidente da ABF, definiu: “Esta é a semana dos empresários e empreendedores que estão atentos em Brasília, mas não deixam de investir em seus negócios, de confiar numa retomada do País. É a semana daqueles empresários e empreendedores que movimentam 2,5% do PIB brasileiro, que geram 1,3 milhão de empregos diretos, que administram mais de 160 mil pontos de venda. É a semana daqueles empresários e empreendedores que sabem o valor do que é trabalhar em uma rede de negócios, de uma marca, o poder do ganho de escala, o quanto compartilhar e colaborar faz os negócios prosperarem. É a semana daqueles que sabem o valor de sair na frente [slogan da ABF Franchising Expo 2019]. Sair na frente com mais conhecimento, networking, trocando experiências e fazendo com que a roda da economia continue girando. Este é o espírito do franchising brasileiro e da nossa Associação: promover, divulgar e difundir o sistema, as boas práticas e fazer negócios”.

Food
Ricardo Bomeny, presidente do Conselho da ABF, e André Friedheim, presidente da entidade, durante a abertura da 4ª ABF Franchising Week

Friedheim convidou Ricardo Bomeny, presidente do Conselho da ABF, para subir ao palco e num bate-papo, o ex-presidente lembrou o período de 2009 a 2012, quando esteve à frente da entidade. Segundo Bomeny, feitas as reformas que o Brasil precisa, o franchising deve voltar a crescer nos patamares anteriores.

As transformações do mercado de food service e o impacto da revolução digital e das inovações tecnológicas também foram observadas por Bomeny.

Friedheim ressaltou que a ABF também seguirá forte na transformação digital.

De acordo com João Baptista Junior, coordenador da Comissão de Food Service da ABF, “estamos vivendo um incrível momento de transformação dos modelos de negócios”.

Gabriel Mariotto, diretor de business analytics da Cielo, falou a respeito do cenário macro, indicadores e tendência do mercado de Alimentação no País. Segundo o executivo, as franquias respondem por quase 16% do crescimento do mercado de food service.

Pesquisa ABF Food Service
Maduro e consolidado, Alimentação é, individualmente, o segmento mais representativo do franchising brasileiro. Dados da ABF de 2018 indicam que as franquias de food service tiveram um crescimento de 7% em sua receita ante 2017, saltando de R$ 42,816 bilhões para R$ 45,827 bilhões. Este valor representa 26,2% do faturamento total do franchising brasileiro no período, que foi da ordem de R$ 174,843 bilhões. O segmento somou 33.895 operações num universo de 153.704 unidades, o equivalente a 22%, e das cerca de 2.800 redes de franquias, 762 são de Alimentação, com 27,2% de representação no setor.

A 13ª Pesquisa Setorial ABF Food Service foi apresentada durante o seminário. O estudo indicou que as redes do segmento Alimentação estão se reinventando, com foco na experiência do consumidor, e que a multicanalidade e a saudabilidade avançam.

De acordo com o levantamento, 78% das marcas pesquisadas pretendem investir em tecnologias de serviços delivery em 2019 ante 66% no ano passado. Os pedidos online vêm a seguir, com 68% das projeções de investimento contra 53% no mesmo período.

Fonte: ABF/ECD Food Service

Outro dado relevante do estudo é a tendência de aumento dos investimentos em tecnologias “front of the house” (à frente do balcão). Entre as marcas respondentes, 47% planejam investir em equipamentos de tecnologia como iPads para menu em 2019. No ano passado, 21% haviam investido. Quiosques e terminais eletrônicos de atendimento vêm em segundo lugar. Enquanto 17% das redes pesquisadas destinaram recursos para estes itens em 2018, 41% delas pretendem fazer o mesmo este ano.

Para Enzo Donna, CEO da ECD Food Service, consultoria responsável pela pesquisa, “a cautela do setor [de alimentação] é irmã da maturidade. O setor está mais maduro”, observou.

Encerrando o programa da parte da manhã, profissionais do segmento de Alimentação debateram os principais resultados da pesquisa. O painel contou com a participação de Alan Roque, da Cacau Show, Renata Rochou, diretora da Casa Bauducco, Kadu Vinci, diretor da Domino’s Pizzas, Georgios Frangulis, fundador e CEO da OAKBERRY AÇAÍ BOWLS, Enzo Donna, sob moderação de Simone Galante, fundadora e CEO da Galunion Consultoria.

De acordo com Renata, o segmento de Alimentação tem “dupla resiliência”. Ela observou “os resultados expressivos, fora da curva”, que demonstram ser um segmento vigoroso.

Fotos: Keiny Andrade