Vai Voando entra na rota do franchising

Brasil Econômico – Erica Ribeiro – 08/06

Empresa do Grupo GapNet, consolidadora de passagens aéreas, se prepara para expansão da marca com abertura de microfranquias

Perto de completar seis anos de atividades com a venda de passagens aéreas pelo sistema pré-pago e com foco nas classes C e D, a Vai Voando, empresa do Grupo GapNet, consolidadora de passagens aéreas, se prepara para alçar novos voos. Luiz Andreaza, gerente de marketing e comercial da Vai Voando, explica que, depois de conseguir se consolidar no mercado com mais de 200 mil bilhetes aéreos vendidos, a meta agora é pensar na expansão da marca não só com a abertura de unidades em comunidades mas também por meio de franquias e com a oferta de pacotes completos, para chegar mais perto também da classe B.

“A Vai Voando nasceu com o objetivo de atender um nicho de consumidores que não estava sendo contemplado pelas agências de viagens e que as companhias aéreas não conseguiam alcançar. O diferencial sempre foi a venda parcelada em 12 vezes, sem comprovação de renda ou análise de crédito. Conseguimos quebrar a barreira de que a viagem de avião não era para as classe C e D. Um perfil de cliente que está no nicho de ‘viajante por necessidade’, que vai visitar a família até duas vezes por ano. Um turista que a crise não afeta porque esse custo está programado e diluído em 12 parcelas”, explica o executivo. “Percebemos que o consumidor da classe B também tem demonstrado interesse por nosso produto e também nosso cliente da classe C busca opções de viagens fora do compromisso familiar. A formatação de um pacote de viagens com aéreo e hotel está no nosso plano de negócios, também com venda pré-paga. Isso deverá acontecer a partir de 2016”, diz ele.

Com 256 pontos de venda no Brasil — sendo 60% delas no eixo Rio-São Paulo — o projeto de expansão prevê a abertura de unidades no formato de microfranquias, pensando também em cidades menores. Hoje, a Vai Voando está dentro de lojas em bairros da periferia e comunidades ou em unidades próprias. O faturamento da Vai Voando para 2015 é estimado em R$ 50 milhões, 30% acima do registrado no ano passado. Na crise, Andreaza acredita que, além de vender mais bilhetes, terá facilidade para conquistar novos empreendedores. Para ele, muita gente que sai do emprego formal poderá considerar o investimento na Vai Voando um bom negócio. “É um modelo muito parecido com o de venda direta, com a vantagem da compra programada. Viajar é um sonho constante e acreditamos que vamos ter ganhos nas duas pontas”, completa ele.