Segredo de Família

Matéria reproduzida da revista Franquia Negócios – Edição 47

Por Paulo Gratão

Caio Prado ainda se lembra do quanto gostava dos pães de mel feitos por sua mãe, Patrícia Prado, durante toda sua infância e adolescência vivida em Alphaville (SP). A receita foi exclusividade da família por mais de quatro décadas e era responsável por encher a casa de amigos e familiares interessados em degustar a fornada feita de tempos em tempos por Patrícia para agradar os filhos. O pão de mel passou por, ao menos, três gerações da família até que Caio, agora com 24 anos e diretor comercial da Água na Boca tivesse a ideia de levar o doce a conhecimento público, comercializando-o.

O pai, Roberval José Barcelos, com larga experiência empreendedora, logo tratou de pensar na parte comercial e logística do quitute: embalagem, código de barras, distribuição e pronto. Caio já podia ver os pães de mel da mãe nas gôndolas de mercearias e estabelecimentos da região.

‘A ideia surgiu por acaso e com experiências profissionais do meu pai, que foi quem me ensinou tudo o que sei’, lembra o jovem empresário.

No início das atividades, em 2008, a produção ocorria na própria casa da família Prado para a venda no comércio local. Cerca de 100 pães de mel eram feitos por dia. Com o aumento da demanda, foi necessária a abertura da Fábrica do Pão de Mel, em 2009, em Barueri (SP), e a produção saltou para 30 mil unidades diárias.

Com o tempo, a tradicional receita de família passou a fazer parte do mix de grandes redes como Pão de Açúcar, Mambo, Zaffari, Walmart entre outros. Caio e sua irmã Paola Prado, de 21 anos, passaram a gerenciar a empresa batizada de Água na Boca. A razão do sucesso é justificada pelo empresário.

Caio Prado – Revista Franquia e Negócios Ed. 47

‘O pão de mel se diferencia por ser produzido com uma receita única. Utilizamos quinze ingredientes, é muito macio e ainda derrete na boca.’

Saído do forno

Em 2012 novos voos foram alçados pela marca. Com os negócios prosperando nos supermercados, Caio percebeu que ainda faltava algo. Considerava o pão de mel comercializado em embalagens bom, mas não trazia a mesma sensação daquele feito na hora, que foi o que o encantou. Depois do sucesso em grandes redes de varejo, a empresa decidiu que era hora do consumidor ter a chance de experimentar o produto saído do forno, o que só seria possível por meio de franquias. ‘Nós fabricamos o pão de mel que é receita da minha avó. Por isso fica muito mais fácil passar aos nossos clientes e consumidores’, comenta.

Com o objetivo de proporcionar ao consumidor essa experiência, a empresa iniciou um projeto piloto com alguns quiosques próprios espalhados pela cidade de São Paulo. O trabalho mostrou à família que o plano tinha potencial, mas revelou outra coisa importante.

‘Entendemos que o modelo de franquia era o ideal, pois o quiosque funciona muito melhor na mão do próprio dono’, afirma Caio.

Revista Franquia e Negocios Ed. 47
Dessa forma, os pães de mel da família Prado passaram a ser fabricados e comercializados em quiosques nas cidades de Guarulhos e Campinas (SP), Goiânia (GO) e Sobral (CE). A meta para 2013 é abrir, em média, 25 novos pontos e aumentar o faturamento da empresa de R$ 12 milhões, alcançados no ano passado, para R$ 16 milhões. Para que isso seja possível, Caio revela que a empresa pretende investir R$ 600 mil. Para efeito de comparação, em 2012 foram investidos R$ 350 mil.

Para ter um quiosque da marca, o empreendedor deve desembolsar cerca de R$ 90 mil. A taxa de franquia é de R$ 35 mil e o equipamento custa R$ 55 mil. Além disso, os royalties são de 4% sobre o valor faturado, somados a uma taxa de R$ 500 do fundo de propaganda. O tempo médio de retorno é de um a três anos e o lucro médio mensal varia de R$ 6 mil a R$ 12 mil.

Os interessados podem optar por três formatos diferentes de franquia, mas o maquinário é o mesmo para todos os tamanhos. Forno, refrigerador e móveis são o que tornam os franqueados capazes de oferecer outras iguarias, além do pão de mel, como alfajores, sorvete, foundue, trufas, brigadeiro gourmet e bebidas.

Expansão

Uma preocupação em expandir negócios como esse para regiões distantes da base é o transporte e a validade dos ingredientes. Para que os doces da família Prado cheguem ainda mais longe a solução encontrada pela família foi a abertura de franquias corporativas, que permitirão a produção local e distribuição tanto em supermercados como para os quiosques. Dois já estão confirmados no Rio de Janeiro e Goiânia e outros três ainda estão em prospecção.

Para garantir que os consumidores nos interiores do Brasil tenham acesso a mesma qualidade dos que moram nos grandes centros, a Água na Boca investiu em uma tecnologia que transformou a massa do pão de mel em uma mistura em pó e deu uma atmosfera modificada ao recheio, que agora dura cerca de seis meses.

Apesar de já ter grandes conquistas em pouco tempo de vida, e um futuro próximo trilhado para o sucesso, a família Prado pensa em alçar voos ainda mais longos. ‘Temos interesse em um master franqueado para que possamos fazer uma expansão para o exterior’, revela Caio. Antes disso, porém, o propósito é levar a lucrativa receita para todo o Brasil.

 

Veja alguns artigos interessantes do Portal do Franchising, clique e te levaremos para lá: