Regional Centro-Oeste abre série de encontros com associados no ano

ABF Regional Centro-Oeste em seu 1º Encontro com Associados de 2021

A Regional Centro-Oeste da Associação Brasileira de Franchising (ABF) iniciou sua série de quatro encontros com associados do ano, no último dia 7 de abril. O evento foi conduzido pela diretora regional, Claudia Vobeto, fundadora e CEO da rede Majô Beauty Club. A programação contou com debate e duas mesas-redondas. Claudia, acompanhada de Eduardo Santinoni, sócio-diretor da Y Consultoria, deram um panorama sobre os números da Região em 2020. Segundo o levantamento da ABF, houve um crescimento de 2,5% na participação do Centro-Oeste no setor de franquias nacional por número de unidades.

Os destaques desse desempenho ficaram a cargo dos segmentos de Serviços e Outros Negócios, que teve um incremento de 19,1% ante 2019, e Casa e Construção, 8,4%. “Devemos enxergar sempre o copo meio cheio”, defendeu Santinoni. Ainda de acordo com o executivo, “a capital federal é a terceira ou quarta cidade em unidades franqueadas e vem resistindo à crise. Isso ajuda nos números positivos, já que média nacional sofreu um decréscimo de 2,6%”, observou. “O agronegócio que é muito forte na Região, ajuda também a contribuir com estes números já que, indiretamente, oferece um certo sustento ao segmento”, completou.

A programação seguiu com o debate sobre Novas Práticas de Gestão e Consultoria junto aos franqueados, com participação de Giovana Tomazini, diretora de integração estratégica da Farmácia Artesanal; e Walkiria Calixto, fundadora da rede Pezinho  e Cia. Elas apresentaram suas experiências com renegociações de valores com fornecedores e outras ações para manter a saúde do negócio em uma situação delicada como a atual.

“Nos aproximamos ainda mais dos franqueados e procuramos manter nosso time motivado e engajado para evitar que o desânimo se instalasse. Também implantamos ferramentas de BI, fizemos treinamentos rápidos com a Operação e procuramos novos caminhos, como a participação em licitações públicas. Se a gente para, o medo predomina”, afirmou Giovana.

Walkiria também segue a mesma linha de raciocínio. “Motivação tem sido a palavra-chave. Nosso colaborador é nosso primeiro cliente e ele tem de estar feliz. Além disso, frisamos a importância do trabalho em equipe: enquanto uma vendedora pega o calçado pedido, outra já procura um acessório que combine, por exemplo. Além disso, atualizamos a maneira da realização dos pedidos, gerenciando o estoque de cada franqueado. Também fizemos catálogos de oportunidades e enviamos aos clientes, entre outras ações”, completou a representante da Pezinho e Cia.

Seguido ao debate, houve duas mesas-redondas com o tema Expansão e Geração de Receitas. Os participantes foram divididos em dois grupos e puderam ouvir as experiências de Edmar Mothé, CEO da Bio Mundo, e de Igor Vendas, diretor comercial da Papelaria Magnólia. A empresa, por sua vez, já foi destacada desde o começo do evento como exemplo de crescimento do setor de serviços, passando de 22 para 62 unidades. Sobre isso, Igor deu algumas pistas sobre como isso aconteceu.

“Passamos a comercializar aromatizadores de ambiente com o cheiro de magnólia característico da loja; além de oferecer cursos para ensinar os produtos que comercializamos, como o de Gestão Financeira para quem adquire o planner, e de Lettering. Passamos a apostar também no marketplace do franqueado,” contou Igor.

A diretora da ABF ainda levantou um assunto que, para muitos franqueadores, é considerado um ponto nevrálgico: o repasse de unidades. Claudia afirmou que sente que há um certo preconceito por parte de futuros investidores. Já Alexandre Guerra, membro do Conselho do Giraffas, afirmou que considera um fenômeno natural, principalmente onde não há possibilidade de expansão mas que, mesmo assim, ainda há unidades a serem repassadas.

Imagem: ABF/Reprodução