Peculiaridades do mercado chinês são foco de debate

Congressistas compartilharam impressões e experiências de varejo e consumo vivenciadas no gigante país asiático.

China
Eduardo Terra: “O futuro do varejo está na China”

“Você sabia que a maior aceleradora de startups no mundo está na China?”. Essa é uma das questões que Cristina Franco, membro do conselho da ABF e moderadora do debate, expoz ao público logo no início da apresentação que ocorreu na manhã de quinta-feira, dia 26. Cristina representou a ABF em uma missão à China que ocorreu entre 10 e 21 de outubro. A ida ao país contou com uma comitiva de aproximadamente 20 empresários e especialistas como Eduardo Terra, presidente da Sociedade Brasileira de Varejo e Consumo (SBVC) e sócio-diretor da BTR; Alberto Serrentino, vice-presidente da entidade e fundador da Varese Retail, e Marcelo Maia, secretário de Comércio e Serviços do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviços (MDIC).

Cristina Franco exaltou a importância da missão e como ela trouxe um novo olhar aos participantes: “O mundo está mudando. Costumávamos nos guiar pela economia e novidades dos Estados Unidos. Precisamos ampliar nossa visão e atuação”, disse.

Logo após, Eduardo Terra compartilhou com a plateia alguns insights dos dias vividos no país e disparou: “O futuro do varejo está na China”. O especialista falou sobre o cross-border (exportação via e-commerce B2C), prática que deve ser adotada pelas marcas brasileiras para vender além das nossas fronteiras: “No Brasil, já se vende R$ 24 bilhões por meio do cross-border. O nosso varejo movimenta um pouco mais de R$ 44 bilhões. É praticamente metade disso. Na China, metade da população consome via cross-border. Diretamente das plataformas de outros países”.

Outro importante tema levantado por Terra foi o conceito de carteira digital, método amplamente utilizado pelos chineses: “Pagamentos e movimentações bancárias são feitas pelo smartphone, via aplicativos e QR Code. Já sentimos o impacto da China nas nossas vidas de muitas formas. Mas vamos sentir com certeza por meio do consumo”, conclui.

China
Alberto Serrentino: “Há uma fama de que a China só copia as coisas do Ocidente. Isso não é verdade, a China também inova”

Alberto Sorrentino reforçou os temas abordados por Eduardo Terra e mostrou, por meio de exemplos, como os pagamentos digitais já são rotina no país: “70% dos pagamentos nos Starbucks na China são feitos por meio digital”. E fez sua defesa ao gigante asiático: “Há uma fama de que a China só copia as coisas do Ocidente. Isso não é verdade, a China também inova”.

Principal fórum de lideranças do franchising brasileiro, a 17ª Convenção ABF do Franchising reúne até domingo (29/10), no Hotel Transamérica Ilha de Comandatuba (Uma, Bahia), franqueadores, franqueados, colaboradores de redes de franquias, prestadores de serviço, bancos e outros stakeholders do sistema para discutir os desafios e caminhos do mercado de franquias no Brasil.