Inovação é a prática de identificar as sementes

rotinas inovadoras Hitendra Patel

O especialista internacional Hitendra Patel fala sobre como as empresas podem incluir rotinas inovadoras em suas agendas

A capacidade de inovar tornou-se elemento básico de sobrevivência para as empresas atualmente. Não se trata mais de diferencial competitivo. Na visão do especialista mundial em inovação, Hitendra Patel, o grande equívoco das empresas atualmente é planejar uma inovação de algo que já esteja ultrapassado. A prática deve se tornar constante: quais sementes podem ser plantadas hoje para serem colhidas no tempo certo?
“Empresas no setor de franquias estão pressionadas a inovar com maior frequência, mais do que em qualquer outra época. Megatendências e a mudança do comportamento dos consumidores têm afetado irreversivelmente a grande maioria dos segmentos de negócios”, observa.

Transformação digital e experiência do consumidor são os dois aspectos que mais têm demandado soluções inovadoras das franquias, na visão do especialista. Patel conversou com a reportagem da Revista Franquia & Negócios ABF sobre quais aspectos são mais importantes para desenvolver a capacidade de inovar em toda a cadeia. A seguir, confira os principais trechos da entrevista:

Quais são os desafios de inovar em pequenas empresas?
O principal desafio é o capital humano. Geralmente o empreendedor, que também é o vetor de inovação na empresa, tem prioridades iminentes na operação do negócio no curtíssimo prazo, que desviam o foco ou a dedicação mínima necessária para pensar na estratégia de futuro ou colocar em prática técnicas para o crescimento da empresa.

Como os franqueadores podem estimular seus funcionários a inovar?
Primeiro, eles devem ter uma estratégia clara para o futuro do negócio. Segundo, eles devem promover o treinamento dessas pessoas para criar e unificar uma linguagem em torno da inovação e do crescimento. Terceiro, eles devem implantar ferramentas simples de inovação e dar oportunidade para se testar o desconhecido.

O “testar no desconhecido” é bem aceito pelas empresas? Por que as companhias são inseguras em permitir que funcionários testem e errem para encontrar soluções?
Porque muitas vezes as estruturas antigas têm medo de perder espaço ou controle. Nesses ambientes, a cultura vigente penaliza o erro e não permite o questionamento do status quo. Isso acontece principalmente nas empresas que têm boa performance financeira, até o dia em que o vento vira de direção e elas são surpreendidas por novos empreendedores que iniciaram suas ideias sem amarras ou medo de errar.

Como identificar a semente certa que deve ser plantada hoje para colher no futuro?
Existem métodos claros e simples para se identificar as melhores áreas para se investir e forma adequada para se gerar novas ideias integradas a essa visão de futuro. Esse processo é uma ciência como outra qualquer, marketing, logística ou gestão de pessoas. Existem técnicas para se alcançar os resultados esperados.

Franquias são conhecidas pela padronização de processos. Como orientar os franqueados a ser mais inovadores em suas rotinas?
Na realidade, para inovar em negócios, também existem metodologias que facilitam a assimilação dos conceitos e a geração de resultados. Empresas e/ou profissionais podem acessar estas metodologias através de treinamentos do Global Innovation Management Institute ou por programas de aceleração do crescimento por meio da inovação.

A proximidade com startups pode auxiliar nesse processo?
Sim. Startups podem ser um caminho para se adquirir boas ideias em estágios mais avançados, gerando crescimento mais rápido e reoxigenando a empresa. Empresas franqueadoras podem criar aceleradoras corporativas, colocando em pratica métodos mais eficazes para identificar as empresas que têm maiores chances de obter sucesso e auxiliar no seu desenvolvimento, integrando o que existe de bom nestes dois mundos diferentes.

É possível as franqueadoras ajudarem-se entre si? Como elas podem fazer isso e preservar o diferencial de seus negócios?
O primeiro passo é conversar mais entre si. Segundo, criar plataformas de colaboração. Empresas estão aprendendo a trocar experiências, know how e recursos, para caminhar mais rápido e melhor. Temos exercitado essa máxima quando criamos ecossistemas de inovação e invariavelmente os resultados são positivos e surpreendentes. Franquias podem criar ecossistemas interligando toda a cadeia de valor e gerando inovações mais rápido, mais barato e de forma mais robusta.