Governança Corporativa e transformação digital no franchising brasileiro

Governança
Startups apresentaram soluções inovadoras para o setor de franquias

“É preciso desmistificar a governança corporativa”. A frase de Geovana Donella, da consultoria Donella & Partners deu o tom do encontro que contou com a presença de Expedito Arena, da Casa do Construtor, Andrea Kohlrausch, da Calçados Bibi e Eliete Martins, da KPMG. Carlos Zilli, da Imaginarium, foi o mediador do painel apresentado no segundo dia de plenárias da Convenção ABF do Franchising 2018.

Para Expedito, é importante que a empresa esteja totalmente formalizada e que tenha um sistema de governança que apresente estabilidade e confiança. Andrea falou sobre os processos de sucessão da Bibi ao longo dos 70 anos de existência da marca. Ela faz parte da terceira geração da empresa familiar: “Há pouco tempo começamos a fazer o Conselho de Acionistas, formalizar processos, imagina só, uma empresa com tantos anos”.

Para Donella, é possível fazer um projeto desde uma startup até uma grande empresa, por isso, a necessidade de desmistificação. Segundo ela, três passos são essenciais para isso: Primeiro, separe todos os papéis, crie os órgãos que sua companhia precisará como Conselho de Administração, Acionistas e outros. Também é necessário um bom Código de Conduta e Ética. Segundo, crie indicadores de performance para que os órgãos consigam trabalhar. E por último, é imprescindível disciplina de reuniões e encontros para que esses órgãos consigam fazer seu trabalho e monitorar o que é necessário.

Eliete Martins apresentou uma pesquisa feita pela KPMG chamada Retratos de Família: “Agrupamos práticas de governança corporativa de diversas empresas familiares no Brasil”. Um dos dados apresentados por Eliete mostra que 43% das empresas declararam que os principais cargos são ocupados pela 2ª geração familiar, 38% pela 1ª geração e 13% pela terceira. “Nossa preocupação é entender porque esse número vem caindo”, completa a executiva. A pesquisa completa pode ser acessada aqui.

Soluções colaborativas e transformação digital

A ABF, em parceria com o OasisLab, desenvolveu o projeto Transformação Digital no Franchising. O objetivo principal é proporcionar o match entre as necessidades das franqueadoras e as mais novas soluções disponíveis no mercado.

As cinco startups selecionadas pelo projeto vieram à Convenção apresentar suas inovações para todo o setor. Foram elas: 100 Marketing & Learning, especializada em realidade aumentada e virtual; Consu.me, especializada em gestão da reputação on-line; Deepen, especializada em big data, inteligência artificial e machine learning; James Tip, especializada em omnichanel e gestão de estoques; e Polichat, plataforma de comunicação que universaliza redes como Whatsapp para atendimento ao cliente.

A primeira iniciativa do projeto foi um workshop que reuniu na sede da ABF franqueadores de vários segmentos (Serviços, Alimentação, Saúde/Beleza, Educação) para discutir sobre gargalos da gestão e da operação que poderiam ser solucionados com a aplicação de tecnologias disruptivas.

Depois desse trabalho prévio e identificação das soluções, oito empresas fizeram suas apresentações em forma de pitches de 10 minutos cada para os especialistas selecionados pela ABF. E das oito, cinco foram selecionadas para a apresentação final.

Foto: Keiny Andrade