ABF FW 22: o consumidor nunca foi tão empoderado digitalmente

Digital
Victor Santos, cofundador e CEO da Clavis Segurança da Informação: "Brasil sofre 1.395 tentativas de ataques digitais por minuto e 43% das empresas atacadas são pequenas e médias"

Seminário de Transformação digital reuniu especialistas que falaram sobre esse consumidor empoderado digitalmente, além de meios de pagamento e cibersegurança.

O Seminário de Transformação Digital abriu os trabalhos nesta manhã (23/6), quinto dia da ABF Franchising Week 2022. A semana de imersão no universo das franquias, realizada de forma híbrida (presencial e online), termina nesta sexta, com o Simpósio Jurídico e de Gestão Empresarial.

Digitalmente
André Friedheim, presidente da ABF, na abertura do evento

“Eu coloquei a transformação digital como uma meta da minha gestão”, disse André Friedheim, presidente da Associação Brasileira de Franchising, em seu discurso de abertura. Esse foco na área levou o presidente da ABF, entre outras iniciativas, a criar a Comissão de Transformação Digital em 2020. Ainda segundo ele, toda transformação digital e as soluções encontradas nesses dois últimos anos reforçaram muito as empresas franqueadoras.

Julio Monteiro (Megamatte), coordenador da Comissão de Transformação Digital da ABF

Julio Monteiro (Megamatte), coordenador da Comissão de Transformação Digital da ABF, conduziu o evento. De acordo com o executivo, é preciso distinguir iniciativas digitais de transformação digital. “Nós vimos muitos empresários trazendo iniciativas digitais para suas empresas, mas o grande peso está na transformação digital”, observou. “Nossa proposta é envolver tanto as pessoas, como os processos e a tecnologia (…). Somente assim vamos conseguir fazer uma transformação digital efetiva”, ressaltou.

Convidado ao palco, Roberto Barbosa, vice-presidente comercial da LG, ressaltou a importância da tecnologia no processo de enfrentamento da pandemia do novo coronavírus e falou sobre o desafio da transformação das empresas do setor. “De nada vale a tecnologia se ela não transformar a vida das pessoas”, disse.

Meios de pagamento
Em seguida, Augusto Lins, presidente da Stone, falou sobre a digitalização dos consumidores nos últimos dois anos, o que demandou novas experiências de pagamentos. “A experiência de pagamento impacta diretamente na experiência de compra que reflete a percepção da marca”, disse.

Além disso, Lins frisou que a tecnologia fez com que o consumidor ficasse mais empoderado, como nunca antes, o que foi visto como uma oportunidade para as marcas e suas parceiras financeiras. Ele compra onde quer, como quer, a hora que quer, decide como pagar e como receber o produto.

O especialista apontou as principais tendências da indústria de pagamentos:

  • Tokenização;
  • E–commerce e app;
  • Pix;
  • Open banking;
  • Metaverso;
  • Valor Agregado.

“Estamos vivendo um momento único de oportunidades em nosso país para os nossos negócios”, disse Lins, e concluiu: “Olhem para os meios de pagamento como branding, não como taxa, para alavancar os negócios”.

Segurança da Internet
Victor Santos, cofundador e CEO da Clavis Segurança da Informação, apontou que cibercriminosos causaram um prejuízo à economia global de US$ 6 trilhões em 2021, ante 2020. No entanto, segundo ele, a maior parte das empresas não possui dados completos e confiáveis. “Podemos dizer que há um sequestro de informações em ascendência nos dias de hoje. Esses dados são cobrados para voltar às suas mãos e ainda correm o risco de serem vazados”, alertou.

De acordo com o especialista, são identificadas no Brasil 1.395 tentativas de ataques digitais por minuto e 43% das empresas atacadas são pequenas e médias.

Na visão de Santos, são necessários apenas alguns passos para se implantar um programa efetivo de cibersegurança na empresa:

– Apoio da alta gestão;

– Análise dos gaps (Gap analysis);

– Ciber-higienização;

– Adequação à LGPD;

– Conscientização do time;

– Acompanhamento;

– Monitoração.

Segundo o especialista, os principais ataques de segurança acontecem com e-mails simples. “A segurança de informação é um organismo vivo em constante evolução”, definiu, e orientou: “Façam do seu time a primeira linha de defesa”.

Fotos: Keiny Andrade