Quiosque é opção para aqueles que querem investir menos

Diário do Comércio – MG – Nádia de Assis – 15/10

Mais baratos e práticos em relação às lojas completas, os quiosques despertam um interesse cada vez maior das empresas franqueadoras. Conforme a Associação Brasileira de Franchising (ABF), as redes de franquias de quiosques faturaram R$ 2,4 bilhões em 2013 e, segundo especialistas e empresários, a expectativa é que este número cresça significativamente neste ano.

De acordo com o coordenador de franquias do Núcleo de Empreendedorismo e Novos Negócios da Fundação Getulio Vargas (FGV), Batista Gigliotti, o modelo pode ajudar a fortalecer a marca. Isso porque, por meio dos quiosques, é possível ter uma expansão mais pulverizada, pois eles podem ser implantados em cidades de menor porte, onde não há potencial de consumo para uma loja maior.

Além disso, os quiosques atraem investidores com maior facilidade em função do baixo custo de implantação e da praticidade caso haja necessidade de transferir as atividades para outro ponto comercial. Outra vantagem é a manutenção mais barata, uma vez que o aluguel do espaço costuma ser bem mais em conta e ele ainda necessita de menos funcionários para operar, o que reduz as despesas com mão de obra.

Entretanto, Gigliotti pondera que a rentabilidade do quiosque também é significativamente menor, mesmo quando ele é instalado em um local que recebe um intenso fluxo de consumidores. “Com isso, o franqueador terá um custo mais elevado com a administração do negócio, já que para elevar o faturamento ele precisa franquear uma quantidade maior de unidades”, alerta.

Ainda de acordo com a ABF, a maior parte das franquias em quiosques – 61% – é da área de alimentação. Todavia, o especialista acredita que produtos de consumo rápido e baixo valor agregado também costumam ser bastante procurados quando disponíveis em quiosques. “A venda no quiosque está relacionada a dois fatores: conveniência e impulso”, conclui.

Apostas – Entre as empresas que optaram pelos quiosques está a Ama Terra, que comercializa diferentes produtos feitos à base de matéria-prima reciclada. Quando começou, a venda acontecia somente através dos PDVs Móveis, mas, desde o fim do ano passado, a empresa adotou a expansão por meio dos quiosques e lojas físicas, com o objetivo de conquistar mais espaço no mercado.

“Atualmente, já são cinco quiosques abertos em diferentes cidades brasileiras e, até o fim de 2014, mais quatro quiosques e uma loja física começam a funcionar”, de acordo com o fundador Laurence Quinhones. Um quiosque com seis metros quadrados de área demanda um investimento de R$ 90 mil, enquanto as lojas exigem cerca de R$ 130 mil. A Ama Terra planeja lançar um modelo ainda menor de quiosque, com quatro metros quadrados. Neste caso, o aporte do franqueado deverá ser de R$ 60 mil.

Quem também acredita no potencial dos quiosques é a agência de turismo Encontre Sua Viagem. A corporação estabeleceu uma parceria com uma grande rede de supermercados para inaugurar, até o fim de 2015, 50 quiosques. O investimento é de R$ 65 mil. Além dos quiosques, a empresa também oferece ao franqueado as opções de loja física e home office. “Porém, acreditamos que os quiosques têm maior potencial de crescimento, devido ao custo menor de manutenção e grande visibilidade”, argumenta o sócio-diretor, Henrique Mol.