Feira em SP traz 420 oportunidades de negócios com franquias

Larissa Coldibeli – Portal UOL Empreendedorismo – 12/06/2013
De hoje (12) a sábado (15) será realizada, em São Paulo, a 22ª edição da ABF Franchising Expo. A expectativa é que o evento, promovido pela Associação Brasileira de Franchising e pela BTS Informa, receba 62 mil participantes e movimente R$ 450 milhões em novos negócios.
Ao todo, 420 marcas participarão da feira, sendo que 48 expõem pela primeira vez. A exposição ocupará os pavilhões Azul e Branco do Expo Center Norte, na capital paulista, e terá 252 estandes.
O número difere do volume de expositores porque alguns espaços reunirão várias marcas como a SMZTO Participações, responsável pelas redes Casa do Sorvete Jundiá, Casa X, Donna’a Cozinha Brasileira, L’Entrecôte de Paris, Mixirica, Odonto Company, Praquemarido, Protezione, Rei do Picadinho e Yakisoba Factory, por exemplo.
Além das marcas e das empresas que controlam várias redes, também haverá estande de fornecedores, financeiras, prestadores de serviços, entre outros.
Para Filomena Garcia, consultora da Franchise Store, empresa especializada em franquias, o interessado em abrir o negócio próprio deve visitar a feira por, pelo menos, dois dias. Assim, é possível visitar marcas já conhecidas e conhecer as novidades.
“Antes de chegar à feira, ele já deve eleger o segmento com que tem afinidade e as marcas pelas quais teve mais interesse.”
Ela diz que é importante mesclar marcas conhecidas com novas no mercado. No segmento de alimentação, por exemplo, ela destaca as famosas redes Habib’s, Bob’s e Spoletto e a novata Mania de Churrasco.
Segundo Garcia, marcas reconhecidas no mercado, mas que só agora estão entrando no segmento de franquias devem se destacar. Alguns exemplos são a fabricante de calçados Di Santinni, a rede de academias Fórmula, e a Leardi, de serviços imobiliários.
“As áreas de beleza e saúde e de serviços imobiliários estão crescendo. Essas marcas são importantes e conhecidas do consumidor”, afirma.
Além disso, há as redes estrangeiras que querem apostar no Brasil, como a rede de sorveteria argentina Freddo. “Marcas estrangeiras podem ser uma boa oportunidade”, declara.
Ricardo Camargo, diretor-executivo da ABF, afirma que a procura pelas microfranquias deve ser alta, impulsionada pela nova classe média. Segundo ele, franquias da área de serviços também devem se destacar, principalmente agências de viagens.