Em defesa da gestão sustentável

ABF comemora 30 anos em 2017 sob nova diretoria, eleita no final de 2016. Protagonismo, capacitação e sustentabilidade serão as marcas da nova equipe, liderada por Altino Cristofoletti Junior

Altino Cristofoletti Junior é sócio-fundador da rede Casa do Construtor e participa ativamente da Associação Brasileira de Franchising (ABF) há mais de 15 anos. Nos últimos dois anos, exerceu o cargo de vice-presidente na diretoria liderada por Cristina Franco, que agora integra o Conselho de Associados da ABF.

A eleição do novo presidente foi oficializada em Assembleia Geral Ordinária, prevista no estatuto da entidade, que ocorreu no fim de novembro, na sede da ABF, em São Paulo. Como acontece desde a fundação, há 30 anos, apenas uma chapa se inscreveu. De acordo com a entidade, isso mostra a harmonia e a consonância entre os executivos do setor.

Na última gestão, a ABF, como maior representante do franchising nacional, conseguiu avançar em três pilares importantes para o desenvolvimento do modelo de gestão: protagonismo, capacitação e capilaridade. O primeiro representou a participação em discussões de interesse dos empresários nas esferas públicas e também em federações internacionais, como o World Franchise Council (WFC). Em capacitação, a entidade, em parceria com o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae), levou o curso Entendendo Franchising a mais de dez mil cidades de todo o Brasil, por meio do programa Franchising Brasil.

Cristofoletti Junior já traçou os planos de sua gestão e anunciou que a capilaridade, que tem conseguido levar franquias para cidades menores, agora será aliada ao conceito de gestão sustentável, que pretende fomentar o fortalecimento das unidades.


Confira, a seguir, os principais trechos da primeira entrevista que o franqueador concedeu à Revista Franquia & Negócios ABF como presidente eleito para o biênio 2017-2018.

Quais são seus planos para manter a relevância da ABF para o franchising brasileiro?
Hoje, a entidade é referência no Brasil e no mundo e, para continuar, contamos com o engajamento de todos os associados. É isso o que tem nos feito verdadeiramente crescer, desenvolver os negócios e fazer com que as redes evoluam e sejam relevantes. No fundo, quero ser apenas o maestro de todo esse borbulhar de redes, para que consigamos ter sinergia e resultados mais efetivos. A entidade tem um tripé de pilares fundamentais para darmos continuidade.

Como ficará a atuação da entidade nas esferas governamentais?
O pilar do protagonismo precisa do engajamento de todo mundo. Não só de franchising, mas de todas as outras associações que têm os mesmos objetivos. Esse vai ser um dos pontos, vamos envolver mais associações nas causas comuns, sejam elas tributárias, trabalhistas ou que envolverem as modelagens de negócio. Isso é o nosso engajamento no trabalho de protagonismo, que tem como pano de fundo os Poderes Executivo, Legislativo e o Judiciário.

Os programas educacionais passarão por inovações?
Temos que considerar todo esse processo de disruptura que está acontecendo no mundo, essa nova economia em que estamos envolvidos. Nós temos hoje franqueadores e franqueados espalhados pelo Brasil inteiro. Nossa meta é ter em todas as cidades pelo menos uma experiência de marca, um franqueado. Para isso, temos que investir muito em formação de pessoas. Eu entendo que esse é o papel do franchising. Vamos ter que repensar nossa forma de capacitar. Temos que ter na entidade um novo olhar, sem perder o que foi construído. Com a perspectiva de estar em qualquer lugar do Brasil e do mundo, com uma formação muito direcionada a capacitar as pessoas para serem gestores ou vendedores, porque o franqueado é aquele que está na ponta e faz a coisa acontecer. Temos que ajudar esse franqueado a ser mais profissional e para o franqueador, que tem a visão mais estratégica, precisamos ajuda-lo a ter um time mais competente para fazer frente a esses novos desafios. A entidade vai trabalhar muito para formar profissionais e capacitar as franqueadoras.

A questão da capilaridade terá um novo olhar?
Sim, o terceiro pilar era trabalhado como capilaridade, nós vamos dar um passo à frente, que vai ser o da sustentabilidade. Não só a visão do bem-estar e comprometimento social, mas principalmente da gestão sustentável. As redes e a própria entidade precisam ter gestão sustentável. Vamos engajar as pessoas e é com isso que faremos a transformação.

Os formatos variados de franquia são alguns dos legados da crise. Como você prevê os impactos para o setor?
As novas franquias já são um desafio para a ABF, estão acontecendo. A gestão da Cristina já teve um olhar com profundidade nesse nicho. Entendemos que, independentemente do formato, é franchising, e tem que ter as mesmas concepções do sistema. Tem que ter entrega de suporte, capacitar pessoas, focar na gestão e trabalhar capilaridade de forma sustentável. A forma de pensar o modelo muda um pouco, mas as entregas têm que ser as mesmas. Na ponta, mesmo sendo apenas o franqueado, sem equipe, é uma pessoa que está envolvida. O sistema de franchising não é uma plataforma tecnológica. É uma plataforma que liga pessoas. Então, nesse sentido, seja uma microfranquia ou qualquer outro nome que a gente queira dar, vamos nos preocupar que esse negócio tenha uma modelagem que pare de pé para os dois lados, franqueador e franqueado, e que efetivamente esteja entregando para o cliente uma experiência de compra única, e que ele se apaixone por essa marca, independentemente do tamanho que tenha.

Como você pretende conduzir a presença internacional da ABF?
O trabalho internacional foi construído ao longo de uma década e não podemos perder isso. Hoje temos um assento jurídico, importantíssimo, do World Franchise Council (WFC), e de outras entidades, também, como a Federación Iberoamericana de Franquicias (Fiaf), que congrega países da língua portuguesa e espanhola. Vamos continuar sendo protagonistas, porque temos esse compromisso e demanda um olhar de levar mais produtos, serviços e conceitos para fora do País. Nossa parceria com a Apex-Brasil está sendo renovada, sempre buscando resultados lá na ponta.

 

Se você está pensando em comprar uma franquia, confira artigos que o Portal do Franchising separou para te ajudar: