Convergência, Canais e Conveniência são tendências no varejo, aponta Pós-NRF

André Friedheim, presidente da ABF, na Pós NRF

Encontro reuniu mais de 200 pessoas no auditório do Santander e trouxe os principais insights identificados durante o maior evento de varejo do mundo, que aconteceu em Nova Iorque de 12 a 14 de janeiro de 2020

 Definido por muitos especialistas como um dos mais ricos encontros para debater varejo da atualidade, a NRF Retail’s Big Show foi, mais uma vez, palco de muito conteúdo relevante para quem respira a atmosfera varejista. Foram mais de 400 palestras em 3 dias de evento em sua 111ª edição. E a ABF saiu na frente para disseminar o que houve de mais importante durante esses dias.

Durante toda a manhã do dia 28, menos de quinze dias após a realização do evento, um time de especialistas escolhidos pela entidade trouxe um extrato das principais tendências, novidades e inovações identificados na Big Apple.

Sob o comando de André Friedheim, presidente da ABF, e a curadoria de Juarez Leão, do Leão Group, Eduardo Terra, da BTR Educação e Consultoria, Alberto Serrentino, da Varese Retail, e Grasiela Tesser, da NL Informática, trouxeram os principais insights colhidos durante as palestras e feira da NRF. A íntegra das discussões pode ser conferida na página oficial da ABF no Facebook.

Para Terra e Serrentino, 6 grandes insights deram a tônica desta edição: Disrupção do Varejo, Personalização, Tecnologia Exponencial, o Novo Papel da Loja, Evolução do Modelo de Negócio e os Desafios da Liderança. Repensar o papel da loja física e sua convergência com todos os canais também é imprescindível.

Juarez Leão, que faz coro com Terra e Serretino, vai mais além e afirma com segurança que a tecnologia não é o fim e sim o meio para encantar, atender e surpreender o cliente. Para ele, o desafio é transformar dados em informações relevantes, pois não adianta ser rico em dados e pobre em informação. Entre outros ensinamentos, sugere que o varejista não se apaixone pela tecnologia e sim pelo seu cliente.

Na opinião de Grasiela Tesser, a tecnologia tem que estar a serviço dos canais, de forma que o cliente a utilize sem perceber, construindo uma verdadeira convergência entre todos os canais. Para ela, não adiante você ter um robô apenas para dar bom dia ao seu cliente.

Um painel sob a coordenação de André Friedhein, com a participação de Edmur Saiani, da Ponto de Referência, de Adir Ribeiro, da Praxis Business, e de Thiago de Mello, da DWZ, fechou a manhã e trouxe uma série de contribuições sobre o papel da loja física nos próximos anos. Opinião de consenso é que as lojas devem, cada vez mais, entreter, divertir e se tornar uma experiência para o cliente. Vários exemplos de lojas inovadoras foram citados, muitos deles visitados pelo grupo que viajou a Nova Iorque com a ABF. Um novo conceito surge a partir desta tendência cada dia mais real: o “retailment”, mistura de Retail (varejo) + Entertainment (entretenimento), uma nova forma de você atrair e, mais que tudo, encantar seu cliente.

Outro exemplo bastante observado pelos painelistas foi a questão da Personalização, uma maneira de tornar o consumidor especial, único. Mesmo que ele esteja ciente de ser conhecido apenas por uma rede muito acurada de dados, ele deseja ser surpreendido por uma promoção exclusiva para ele, desenvolvida unicamente para ele.

Exemplos perfeitamente adaptáveis para todos os segmentos do varejo, inclusive e especialmente franchising.