Comida típica brasileira chega ao mercado de delivery em “caixinhas”

DCI – Ana Paula Silva – 20/02

Na área de delivery surgem novos nichos no segmento de comida servida em caixinha. Amplamente utilizado por redes especializadas em culinária asiática, o mercado agora começa a ser explorado por empresas que apostam em alimentos típicos de várias regiões do País.

É o caso da empresa Brasileirinho, que entrega comida típica de Goiás, Minas Gerais e outros estados. Estrogonofes de carne e de frango são o carros-chefes, sendo que a Brasileirinho possui 12 opções de refeições diferentes, sempre servidas em dois tamanhos de caixinhas. A rede, que opera há menos de dois anos, já possui 10 lojas em funcionamento e conta com outras cinco em fase de final negociação, conforme o sócio diretor da bandeira Jhonathan Ferreira da Silva.

Pioneirismo

Uma das pioneiras no segmento de comida em caixinha e exemplo de negócio de sucesso é a China In Box , que tem hoje 160 franquias e seis unidades próprias. O faturamento da companhia no ano passado foi de R$ 306 milhões.

Este ano, a China In Box, há 23 anos no mercado, pretende inaugurar 18 lojas, sendo 10 próprias. A meta é crescer em números reais até 5%. Segundo o presidente do grupo TrendFoods, da qual faz parte a marca China In Box, Robson Shiba, o principal problema enfrentado atualmente diz respeito a carga tributária. “Ela quase inviabiliza os negócios e é um dos fatores que prejudica o desempenho das franquias”.

Já para Silva, da Brasileirinho, o ponto que merece mais atenção envolve as entregas em locais distantes. “É preciso ter uma equipe organizada”.

Adaptação

Em meio a uma economia que cresce menos, o coordenador do Comitê de Alimentação da Associação Brasileira de Franchising (ABF), João Baptista Júnior, acredita que o segmento de franquia de alimentação precisa se adequar. “O consumidor pode mudar o ticket médio, caso o dinheiro diminua. Ele não deixará de comer, mas mudará a freqüência de alimentação fora do lar.”