8 passos para não entrar em uma fria com franquias de serviços

UOL – Andréia Martins – 20/10

Franquias de serviços, como lavanderia, limpeza, estética e pet shops estão em ritmo crescente no país. A avaliação é de Ricardo Camargo, diretor-executivo da ABF (Associação Brasileira de Franchising), e da especialista em franquias e colunista do UOL Filomena Garcia.

O ramo de serviços é o que mais atrai jovens empreendedores brasileiros, segundo levantamento feito pela Conaje (Confederação Nacional de Jovens Empreendedores) e divulgado em outubro.

Segundo o estudo, 45% dos empreendedores de 18 a 39 anos que pretendem abrir um negócio querem investir na prestação de serviços. Outros 30% pensam em entrar no ramo do comércio, 15% em tecnologia, 6% em indústria e 4% em agronegócio.

O interesse pelo setor se deve ao valor de investimento inicial ser mais baixo que em outros segmentos, afirma Camargo. São consideradas microfranquias aquelas que exigem investimento inicial de até R$ 80 mil.

Hoje, a taxa de mortalidade das franquias de serviço está entre 10% e 15%, segundo a ABF, número considerado baixo pela entidade se comparado à taxa de mortalidade das empresas que não são franquias.

De acordo com o Sebrae (Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas), 24% das empresas brasileiras fecham as portas antes de completar dois anos.

Apesar da aparente facilidade de entrada nesse segmento, o setor de serviços depende mais da capacidade técnica do franqueado e de seus funcionários.

Na franquia de comércio, por exemplo, o franqueado recebe do franqueador o produto a ser comercializado e deve operar seguindo o modelo das demais. Já na franquia de serviços, o fator humano pesa e é preciso boa mão de obra para manter a qualidade do serviço.

Os dois especialistas deram algumas dicas para não entrar em uma fria na hora de investir em uma franquia de serviços. Confira abaixo:

Dicas na hora de investir em uma franquia de serviços:

Encontre um negócio com o qual se identifica

“O primeiro ponto é buscar alguma identificação com aquilo que você vai oferecer. Isso é essencial, é o que vai fazer você se dedicar ao negócio”, aconselha Filomena Garcia. Ao abrir uma franquia de serviço, o franqueado não é obrigado a escolher a mesma área em que atua, mas, segundo a consultora, essa afinidade ajuda a construir melhor o negócio.

Calcule bem o valor do investimento inicial

Embora o investimento inicial em franquias de serviço geralmente inclua gastos como capital de giro, equipamentos, estoque inicial e treinamento para o início do negócio, outros gastos, como a necessidade de ponto comercial ou de veículos, podem tornar o investimento maior. O franqueado deve estar preparado para esse gasto extra.

Faça uma boa pesquisa de mercado

Antes de investir em uma franquia de serviço faça uma pesquisa para responder às seguintes perguntas: O público está solicitando esse serviço? Ele é necessário? Como esse segmento está indo? Quanto esse setor lucrou nos últimos anos?

Contrate a melhor mão de obra

Um dos maiores desafios de quem trabalha com serviços é achar mão de obra qualificada. “Na franquia de serviços, as pessoas vão fazer toda a diferença. Você não tem um produto. Se você tem um pessoal mais ou menos, mas um produto muito bom dá para equilibrar. No caso de serviços, não”, diz Filomena Garcia.

Defina no contrato o suporte do franqueador

Na hora de fechar o negócio com o franqueador, quem adquire a franquia deve ficar atento a tudo o que será oferecido pela matriz, inclusive em relação à mão de obra, equipamentos e apoio de comunicação. Por lei, o franqueador tem que oferecer ao franqueado o ‘know-how’ do serviço, em treinamento ou manual.

Avalie a área geográfica em que vai atuar

“Como em muitos casos as franquias de serviço não têm uma sede comercial, funcionam em casa ou em salas alugadas, o franqueado deve procurar saber se na região onde ele pretende atuar já existe algum negócio da mesma franquia ou do mesmo ramo para não abrir um negócio vizinho à concorrência”, indica Ricardo Camargo.

Prefira uma marca consistente a uma conhecida

Para muitas pessoas, a escolha para investir em uma franquia baseia-se em uma única pergunta: a franquia é conhecida? “Mais importante do que ter uma marca conhecida é ter uma marca consistente. Ao escolher, avalie o suporte que você terá do franqueador ao longo do tempo, qual é o plano de expansão da rede e levante o faturamento para saber se o negócio é lucrativo”, diz Filomena Garcia.

Converse com a franqueadora antes de mudar o negócio

Uma unidade de uma rede de lavanderias, por exemplo, pode atender a pedidos delivery se a matriz não operar desse modo? “O franqueador deve estar sempre aberto a aproveitar as boas ideias, se elas existirem. Mas o franqueado deve sempre conversar com o franqueador antes e apresentar sua ideia a ele para não descaracterizar o serviço”, indica Camargo.