Uberlândia é a 2ª cidade mineira em quantidade de franquias em operação

Jornal Correio de Uberlândia – 22/09 – Daniela Nogueira 
 
Uberlândia é a segunda cidade de Minas Gerais em quantidade de franquias em operação, com mais de 300 unidades, de acordo com dados da Associação Brasileira de Franchising (ABF). Esse número representa 7% das franquias do Estado, que soma 4,43 mil unidades, e Uberlândia só fica atrás da região metropolitana de Belo Horizonte, que reúne 30% das empresas franqueadas de Minas Gerais. Em 2012, a região do Triângulo Mineiro teve uma participação de 12,7% no faturamento estadual, o que representou R$ 444,5 milhões.

Segundo o diretor da ABF em Minas Gerais, Aristides Newton, Uberlândia tem uma grande participação no mercado de franchising por ser o centro de uma região geoeconômica importante para o Estado, que engloba o Triângulo Mineiro e o Alto Paranaíba. “A cidade se destaca entre os mais de 800 municípios mineiros como a metrópole com maior crescimento dos últimos anos e é, no cenário nacional, a cidade do interior mais importante no ramo atacadista”, disse.
 
Ele ainda afirmou que o número de centros comerciais e o espírito empreendedor em Uberlândia são importantes aliados no crescimento do franchising na cidade. “Um dos principais fatores dentro do segmento de franquias é a facilidade de distribuição e de implantação das marcas e a cidade já está na construção do terceiro shopping. Os centros comerciais atraem muito as marcas de conceito e prestígio brasileiras e internacionais.”
 
As características da cidade atraíram o casal de empresários Geraldo Magela de Queiroz e Mariela Ballardin de Queiroz, que inaugurou uma franquia de smoothies (bebida cremosa com que se misturam frutas, iogurte e sorvete) e alimentos naturais recentemente na zona sul de Uberlândia.
 
“Nós éramos clientes da rede no Rio Grande do Sul e quando mudamos para Uberlândia, há um ano, percebemos que aqui não existe smoothies e poucos conhecem a bebida. Como a cidade está crescendo muito e os produtos são inéditos, vimos um nicho de mercado a ser aproveitado e uma oportunidade de negócio”, afirmou Mariela de Queiroz.
 
Para Geraldo de Queiroz, é melhor apostar em uma franquia do que começar uma marca nova. “É uma aposta em uma ideia pré-concebida, em um conceito e uma gestão conhecidos. O risco do negócio é reduzido e o retorno financeiro é mais rápido,” disse.
 
Setor de alimentos apresenta 24% das unidades
 
O setor que tem o maior número de franquias em Uberlândia é o de alimentação, que representa 24% das unidades franqueadas na cidade. Beleza, saúde e produtos naturais têm 14% das lojas do mercado de franchising da cidade. As franquias de educação e treinamento têm a participação de 12%, assim como as lojas do segmento de negócios, serviços e conveniência.
 
Uma rede de franquias especializada em tingimento, costura, customização e serviços de lavanderia inaugurou duas unidades na cidade em 2006, antes mesmo de entrar no mercado de Belo Horizonte. “A cidade apresentava um forte crescimento econômico e baixa concorrência. Além disso, estar presente no Triângulo Mineiro fortalece a expansão em outros lugares do Estado porque a região tem um grande impacto econômico e social em Minas Gerais”, afirmou o gerente de operações da rede, Ramon Guedes.
 
Especializada em cachaça, um rede de franquias inaugurou sua unidade em Uberlândia em 2004 por acreditar que a cidade tenha grande potencial econômico e pelo público consumidor. “A estratégia vem das tipicidades da culinária e das cachaças mineiras. O conceito da marca casou muito bem com o paladar dos mineiros”, disse o diretor de expansão da marca, Júlio Bertolucci. A rede tem ainda uma unidade em Frutal e pretende se expandir para Ituiutaba, Uberaba, Patos de Minas e Araxá.
 
Empresas se tornam franqueadoras
 
Uberlândia também é a segunda cidade mineira em número de marcas franqueadoras, ficando atrás da região metropolitana de Belo Horizonte, segundo o diretor da Associação Brasileira de Franchising (ABF) em Minas Gerais, Aristides Newton. De acordo com ele, entre 25 e 30 empresas uberlandenses expandiram os negócios para franquias.
 
Uma indústria de cosméticos de Uberlândia, que foi criada em 2007, se tornou franqueadora em 2010 por acreditar que a marca se desenvolveria melhor nesse modelo de negócio. “Como franqueadora, se consegue estender o modelo de negócio de maneira rápida e eficaz. Quando se cresce como rede própria tem que criar uma estrutura muito grande, o que pode tornar o negócio inviável”, afirmou o diretor geral da marca, Ismael Carrijo.

A rede já possui 35 franquias espalhadas pelo Brasil e tem previsão de inaugurar outras 20 unidades o fim deste ano. Existe ainda a expectativa de fechar 2014 com 100 lojas e chegar ao fim de 2015 com 200 unidades.
 
Analista do Sebrae orienta sobre cuidados necessários
 
Abrir uma franquia ou criar uma marca própria não interfere no varejo convencional da
cidade. Cada um dos estilos de negócios tem suas vantagens e desvantagens, de acordo com a analista de negócios do Sebrae-MG, Luisa Vidigal. Segundo ela, mesmo sendo um franqueado é preciso realizar as pesquisas de mercado e ter sucesso no empreendimento.

“O potencial franqueador deve inicialmente, escolher um negócio com o qual se identifica, analisar as melhores marcas existentes no mercado, seu estágio de aceitação, de ascensão, maturidade ou declínio. O fato de optar por uma franquia não significa que o negócio terá sucesso total. Há vantagens e riscos, como em qualquer negócio”, disse a analista. Ela lembrou que o Sebrae atende clientes interessados em abrir o próprio negócio, que pode ser uma franquia.