Sucesso na elite, Studio W mira a classe popular em 2015

DCI – Davi Brandão – 12/12

A barbearia do pai na cidade de Maringá, no Paraná, serviu como escola para Wanderley Nunes. Sócio da rede Studio W e ‘barbeiro’ do ex-presidente Lula, ele hoje é referência no setor de moda e beleza premium. Mas para o próximo ano ele garante que vai começar a apostar suas fichas no público popular.

Com mais de 35 anos de carreira, o empresário foi apontado por Gisele Bündchen, em entrevista à revista “Rolling Stone”, como o melhor cabeleireiro do Brasil. Em 2009, recebeu o prêmio World’s Top Ten Hairdressers, na Alemanha, quando entrou na lista dos 10 melhores profissionais de beleza do mundo, além de ser o primeiro brasileiro certificado pela Alexandre de Paris como Cabeleireiro Internacional de Damas. A rede Studio W mantém destaque no mercado premium e já foi citada pelo jornal The New York Times como um lugar de luxo no Brasil. Recentemente, foi destacado como um dos melhores salões do mundo, pela revista americana Harpefs Bazaar.

“Nasci dentro de um salão de beleza. Meu pai foi meu grande inspirador. Acredito que a referência familiar é muito importante para o sucesso no empreendedorismo”, destaca o empresário. “Existem muitas pessoas que fazem cursos, assistem palestras, buscam lições para conquistar o sucesso, mas a característica é a essência humana. Essa é majoritária dentro de um negócio. Não conheço ninguém que, profissionalmente, não tenha o que mereça”, reflete Wanderley, durante conversa com a reportagem do DCI.

Entre uma tesourada e outra, Wanderley Nunes relembrou sua trajetória dentro de um setor que mantém um ritmo de crescimento acelerado nos últimos anos. “Meu primeiro salão foi inaugurado em 1988. Não quis ser somente um cabeleireiro, mas sim um empreendedor. O investimento principal que fiz foi no ser humano, pois essa é a essência do negócio”, pontua o empresário, que tem participação em oito salões, situados em São Paulo Alphaville, Campinas, Ribeirão Preto e capital paulista e no Paraná.
Mercado de vaidades

“Atualmente este mercado é muito ilusório”, afirma Wanderley. De acordo com o empresário, quando ele entrou no segmento tudo era muito diferente: “Não tínhamos tantos impostos e questões burocráticas como nos tempos atuais”.

Para Wanderley, outro sério problema é o da informalidade no segmento, tema discutido por ele com um de seus principais clientes, o ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva: “Essa questão tributária eu comentei com o Lula, pois hoje pagamos impostos por aqueles que não pagam, e por isso se torna tudo muito caro”, frisa Wanderley, ao estimar que 95% do mercado são compostos por pequenas e médias empresas.

“Há um caso, quando eu montei um salão e tive prejuízo de R$ 80 mil, e tinha que pagar R$ 60 mil de impostos. O governo ganha sobre o meu prejuízo e não abate dívida se meu faturamento não for bom. Ele é meu sócio e lucra dobrado, mas sou responsável pela parte civil, criminal, trabalhista e fiscal do negócio”, lamenta o executivo.

Expansão e novos negócios

“Creio que o empresário tem que aproveitar o seu tempo, e eu aproveitei o meu. Estou satisfeito com a marca. Tenho que olhar e defender meu mercado, pois tenho indignação e as coisas precisam ser mais bem observadas”, pontua.

Após a abertura de uma unidade em Ribeirão Preto, no interior de São Paulo, o empresário comenta que a fase de expansão contará com duas novas unidades próprias da rede em 2015, sendo uma em São Paulo e outra no Rio de Janeiro. “Vejo que teremos somente a abertura de mais dois salões, mas estaremos focados no trabalho de capacitação profissional, além de um projeto de franquias, com a apresentação de uma marca popular”, antecipa.

“Trata-se de outro tipo de consumidor. Hoje todo o empresariado reconhece a importância deste público popular. Precisamos da classe elitizada para criar o branding e do público popular para a sustentação do negócio”, avalia o empresário, lembrando que o projeto já conta com mais de 10 interessados no Brasil dispostos a investir, em média, R$ 3 mil por metro quadrado. “Vamos manter o investimento em pessoas e queremos oferecer conforto para os clientes. Não é porque vai pagar pouco que não terá conforto. Teremos satisfação garantida também pelo preço popular”, diz.

Outras paixões

Apaixonado pela fotografia, Wanderley Nunes confirma a abertura de uma exposição após o carnaval de 2015, no Shopping JK Iguatemi, e o lançamento do livro “100 Cortes”, com fotos de sua autoria.