Simpósio de RSE discute os rumos para uma economia mais verde

Durante o dia 19 de outubro, a terceira edição do Simpósio de Responsabilidade Social foi realizada pela AFRAS e a ABF. O objetivo do evento este ano foi discutir a migração da atual economia para um modelo mais `verde` no setor de franquias.

O encontro contou com palestras de grandes nomes da área como Ricardo Voltolini (Ideia Sustentável), Giovanni Barontini e Marcelo Rocha (Fábrica Éthica Brasil), Paulo Itacarambi (Instituto Ethos) e Alexandra Lichtenberg (Ecohouse), que debateram o cenário atual e soluções do mercado para um franchising mais sustentável.

A Vice-Presidente da ABF, Maria Cristina Franco, deu as boas-vindas a todos os participantes e realizou a abertura oficial da programação `Temos, hoje, o desafio de incorporar um modelo de economia verde no franchising, que leve em conta o meio ambiente e a inclusão social`, disse. `A AFRAS tem sido uma aliada fundamental no setor, promovendo a educação da sustentabilidade por meio de cursos de capacitação para profissionais e executivos do franchising.`

Claudio Tieghi, presidente da AFRAS, também saudou os participantes e reforçou as oportunidades que a instituição oferece através de cursos, selos e prêmios. `Estamos evoluindo em diferentes aspectos e a sustentabilidade nos ajuda a dar passos firmes rumo a um desenvolvimento mais responsável`, afirmou.

O mestre de cerimônias Pedro Mello, com muito bom humor apresentou os palestrantes. A começar por Giovanni Barontini (Fábrica Éthica Brasil), que falou  sobre `O impacto das Mudanças Climáticas nos Negócios`. O especialista comentou sobre os desafios que as franquias podem enfrentar devido às mudanças climáticas nos relacionamentos da marca com os diversos públicos (ONGs, governo, etc.) e os na credibilidade ao longo do tempo – transparência e prestação de contas.

Em seguida, Marcelo Rocha (Fábrica Éthica Brasil) compartilhou a `Experiência do Programa Franchising de Baixo Carbono`, projeto realizado pela AFRAS, no qual as franquias inscritas são submetidas a um inventário de emissões de gases de efeito estufa e, com base no quadro de resultados, promovem ações para redução de tais emissões e compensação por meio do restauração e preservação de áreas florestadas. `Os resultados foram bastante positivos, mas mediante o cenário geral, ainda há muito a se fazer`, ressaltou.

Em seguida, Claudio Tieghi mediou um debate, no qual, representantes das redes Ambev, Big X-Picanha, Casa do Construtor, Grupo Ûmbria e Mundo Verde puderam compartilhar as `Lições e próximos passos para Operações de Baixo Carbono`. Margarete Elias da Casa do Construtor considera a experiência do programa de  muito produtiva.  `Agora vamos trabalhar na conscientização das pessoas`, disse. A rede começou a investir na redução de combustível, `Estamos com um projeto de bicicletas elétricas para que os funcionários possam usá-las no deslocamento para o trabalho`. Já Bruno Dayrell do Grupo Ûmbria falou sobre o projeto Spoleto 21.

`Estávamos em um processo de revisão de cultura da rede e o programa resultou na retirada de combustíveis fósseis da rede, 40% de redução de água, menos acidentes no trabalho, redução de calor das lojas e, para nossa surpresa, 7% de lucratividade das lojas 21.

Assuntos como lojas de rua e lojas de shoppings centers, o destino apropriado de resíduos sólidos e a arquitetura também fizeram parte da rodada de discussão. Os participantes concluíram dizendo que os fornecedores também podem desenvolver seus serviços e produtos com sustentabilidade e que o envolvimento das pessoas é fundamental para a implementação de ações sustentáveis com foco na redução de carbono.

Para fechar o primeiro período do Simpósio, Ricardo Voltolini (Ideia Sustentável) apresentou sua `Plataforma Liderança Sustentável`. Com o lançamento do seu livro `Líderes Sustentáveis`, Ricardo traçou o perfil de líderes de destaque que conseguiram fazer a diferença por meio de uma visão mais sistêmica dos negócios: `Os líderes sustentáveis têm a noção da interdependência entre os sistemas produtivo, ambiental e social. Tem coragem para enfrentar as resistências e persistência para conduzir mudanças.`, ressaltou. `Além disso, eles enxergam a sustentabilidade pela ótica da oportunidade`. A partir do livro, Voltolini tem levado esses líderes para compartilhar suas experiências com empresas, ONGs e universidades por todo o Brasil.

Paulo Itacarambi (Insituto Ethos) iniciou o segundo período de palestras, norteado pelo tema `Uma nova economia, uma nova sociedade`. Paulo ressaltou que hoje é necessário a instalação de uma economia includente, verde e responsável, mas que isso só será possível se considerarmos os diferentes aspectos que influenciam esta economia. Para ele, a sociedade já tem consciência dos limites dos recursos naturais, da necessidade de redução dos impactos das atividades econômicas e as empresas já perceberam a oportunidade de negócio, tornando a economia verde viável. `O Brasil tem grande potencial para ser uma liderança.`, afirmou.  `O Brasil conta com capital natural rico em biodiversidade, sociodiversidade, organizações sociais ativas, economia dinâmica. É preciso agora articular uma ampla mobilização nacional dos principais atores sociais, empresariais e políticos.`

Alexandra Lichtenberg (Ecohouse Urca), arquiteta especializada em sustentabilidade, falou sobre a instalação de lojas verdes. Na palestra, Alexandra deu dicas sobre materiais que causam impactos negativos no meio ambiente e dicas de soluções criativas e inovadoras.

Também foram apresentados cases de empresas que possuem iniciativas verdes, como Antilhas, com suas embalagens sustentáveis, Grupo Boticário sobre gestão da sustentabilidade da cadeia de valor, Martin-Brower, que falou sobre logística reversa e SAP Brasil sobre inovação tecnológica.

O Simpósio, de maneira geral, atendeu às expectativas dos participantes. Janaina da Costa e Janise Bergamo, representantes do Marketing e Expansão, respectivamente, da Platinan (grupo das redes Bon Grille Vannila Caffé) não foram exceção: `O marketing e a expansão tem tudo a ver com a sustentabilidade na empresa. Acreditamos que o simpósio foi muito importante para nós, pois possibilitou um melhor entendimento do tema sustentabilidade para levá-lo à prática!`

Para Fabiana Oliveira, que está se especializando em Educação Ambiental e Sustentabilidade pelo Centro Universitário Fundação Santo André, a programação foi muito enriquecedora `Os temas e cases apresentados contribuíram muito para uma visão ampla sobre a questão da sustentabilidade em suas diversas dimensões e como as franquias têm um papel fundamental na construção de uma sociedade de fato sustentável`, disse,`A AFRAS está de parabéns pela iniciativa!`.