Segmento projeta 2015 com crescimento de 10%

Jornal do Commercio – RJ – Naira Sales – 06/11

Donas de uma dinâmica própria, as franquias devem continuar em expansão de pontos de venda e faturamento mesmo com PIB baixo, apontam especialistas

A 14ª Convenção da Associação Brasileira do Franchising (ABF) terminou, na última semana, com uma previsão otimista para o setor em 2015. Com uma expectativa de crescimento de até 7% este ano, mesmo com a economia do País em ritmo lento, especialistas projetam para o ano que vem um aumento de até 10% no faturamento das empresas do setor.

O principal porta-voz dessa projeção foi o economista e expresidente do Banco Central Gustavo Loyola, um dos palestrantes do evento, que reuniu 600 participantes na Ilha de Comandatuba, na Bahia. “As franquias têm um crescimento histórico muito acima do varejo, impactado pelo mercado de veículos. Acho bem possível o crescimento de 10%”, afirmou.

Ele atribiu esse otimismo à expectativa de um ano melhor em 2015 com crescimento do Produto Interno Bruto (PIB) na casa dos 1,2% ante um cenário de 0,3% esperado para 2014 mas principalmente pelas próprias características do setor, que tem dinâmica própria e pode crescer mais do que outros.

O economista prevê para 2015 um crescimento de 1,2%, num cenário ‘básico’, sendo pessimista haverá recessão e decréscimo de -0,8%, e otimista, o avanço pode ser de 1,8%. Ainda de acordo com Loyola, “não crescerá a massa salarial e a renda da família como antes” e “o modelo de crescimento baseado no consumo está se esgotando”.

Na opinião dele, a queda da confiança de investidores e dos consumidores na capacidade de crescimento da economia brasileira são desafios a serem superados pelo governo. “Temos de reverter a perda de confiança e restabelecer o investimento no Brasil”, defendeu.

No cenário internacional, Loyola observa que há três fatores de incerteza globais: o ritmo e a profundidade do processo de normalização da política monetária nos Estados Unidos, o ritmo de desaceleração da economia da China e a recuperação da zona do Euro. “Estas questões irão definir alguns aspectos cruciais: ritmo de crescimento da economia mundial e taxas globais de juros”, afirmou.

Participantes

Durante o evento, a presidente da ABF, Cristina Franco, ressaltou a todos o papel facilitador da entidade no desenvolvimento do sistema. “A Convenção é, hoje, um ambiente propício para que cada um dos congressistas, encontrem informações valiosas para sua estratégia empresarial, independente de sua rede ser pequena, média ou grande”, afirmou. Cristina também aproveitou a oportunidade para comentar sobre o desempenho do setor neste primeiro semestre que, apesar de se caracterizar um período atípico, permite que a Associação avalie a possibilidade de encerrar 2014 com um crescimento de 5,5 a 7%. “Somos parte do Brasil que dá certo e, por isso, somos fortes aliados do País em prol do desenvolvimento econômico, da geração de renda, de emprego e da formalização de negócios”, completou.

O capitão da Marinha norteamericana Mike Abrashoff motivou os congressistas do franchising. Ele contou como aprimorou sua capacidade de liderança e conseguiu motivar sua equipe, recuperar sua confiança e tirar o USS Benfold da condição de terceiro pior navio da frota do Pacífico para o primeiro lugar. “Retínhamos apenas 8% da tripulação, e os marinheiros eram voluntários, assim como seus clientes são”, comparou ele.

Outro ponto importante que Mike falou durante o evento, foi o foco naquilo em que se pode exercer influência, treinar, capacitar, respeitar e se comunicar com a equipe. “Foi preciso dar o melhor treinamento com respeito e dignidade e criar uma cultura para que os marinheiros tivessem orgulho do que estavam fazendo”, explicou. Ele conta que percebeu que deveria parar de se concentrar nas coisas que não podia influenciar e concentrar nas que podia. “Escolha uma ou duas coisas em que deva se concentrar: no seu pessoal, para que seu cliente retorne vez após vez e imagine como gostaria que fosse a cerimônia de transferência do comando de sua empresa”, relatou Mike que teve com o resultado da revolução feita por ele no comando de sua equipe, a retenção atingiu quase 100% e a média de promoções passou de 68% para cerca de 250%, entre outros avanços.

O sócio-fundador da Viva Eventos, primeira franquia de formaturas do País, Renato Filgueiras, contou sobre experiências no ramo. “Nos posicionamos com a maior empresa de eventos do Brasil e faz parte disso estreitar laços com grandes empreendedores que lidam no ramo do franchising”. “É importante destacar ainda que o encontro fortalece a segurança da Viva como empresa em amplo crescimento. A expectativa é grande e damos agora um passo importante para um 2015 de sucesso e expansão”, disse o empresário.

O franqueado da empresa Limpeza com Zelo, franquia especializada em limpeza, Renato Ticoulat, disse que a convenção é uma oportunidade de melhorar a qualidade da rede e a planejar o próximo ano com estratégias ainda mais interessantes para o negócio. “O evento é uma grande oportunidade também de fazermos contatos e trocarmos ideias. Além das palestras, as conversas durante o evento ajudam a ampliar a visão do dia a dia da operação com soluções práticas e eficientes”, afirma.

Na opinião do diretor de expansão da Tip Top, rede de vestuário infantil, Ricardo Marcondes, o evento é uma oportunidade de nos desenvolvermos com os conteúdos apresentados. “A troca de informação entre as empresas aqui representadas é muito produtiva. Durante o evento aprendemos novas técnicas de gestão de rede para serem aplicadas no dia a dia da empresa”, ressalta.