Mesas-redondas e debate encerram o 9º Simpósio Jurídico ABF

Mesas-redondas e debate encerram o 9º Simpósio Jurídico ABF - Evento tratou em profundidade temas jurídicos que impactam o franchising e o varejo


Série de 12 mesas-redondas deu mais dinamismo ao Simpósio
Evento tratou em profundidade temas jurídicos que impactam o franchising e o varejo

Aprofundar e trocar conhecimentos e experiências, atualizar-se sobre os mais importantes temas do setor e fazer networking. Estes são alguns dos benefícios proporcionados pelo 9º Simpósio Jurídico e de Gestão Empresarial da ABF, observados pelos participantes. O novo formato do evento, com painéis paralelos no primeiro dia e mesas-redondas simultâneas neste segundo e último dia, tornou-o mais dinâmico e possibilitou ao participante personalizar a programação de acordo com os temas de seu interesse.


Luiz Henrique do Amaral: “Simpósio atingiu o máximo de expectativa possível”

Segundo Luiz Henrique do Amaral, diretor jurídico da ABF, o Simpósio tem dois objetivos centrais: ser um espaço onde os associados da área discutam questões jurídicas e formulem propostas de melhorias do sistema de franquias na área legal, e permitir que informações valiosas aos franqueadores e aos escritórios associados sejam fornecidas para melhorar a gestão jurídico-empresarial. “Nesse sentido, penso que o Simpósio atingiu o máximo de expectativa possível. Nesses dois dias conseguimos debater profundamente temas jurídicos que afetam o sistema de franquias e o varejo, e ao mesmo tempo saímos com muita informação para levarmos para nossas empresas”, avaliou.Nesta quinta-feira (17/9), a parte da manhã foi dedicada a 12 mesas-redondas cujos temas foram repetidos em três rodadas. À tarde a plateia acompanhou o debate “A interface com advogados externos e a decisão de implementação de Departamento Jurídico”. Mediado pelo diretor jurídico da ABF, o painel reuniu Erica Justolin, gerente jurídica da Casa do Pão de Queijo (CPQ) e Boris Gris, diretor jurídico do McDonald’s.

No encontro, os advogados explicaram como funcionam suas respectivas áreas jurídicas. Segundo Erica, a atuação de seu departamento tem um caráter consultivo e preventivo muito forte. “A CPQ tem procedimentos jurídicos estruturados e criou uma cultura de consulta das demais áreas da empresa”, afirmou.


Debate com Boris Gris e Erica Justolin mediado por Luiz Henrique do Amaral

Já no McDonald’s, rede administrada em 21 países da América Latina pela máster franqueada Arcos Dorados, o departamento jurídico funciona como um escritório interno. “Somos um prestador de serviço para todas as áreas da empresa, um Jurídico de portas abertas, viabilizador de negócios”, explicou Gris.A ABF encerrou o Simpósio com a divulgação de uma pesquisa sobre relacionamento na área jurídica. De acordo com o levantamento, que será enviado aos associados participantes, em 56% das franqueadoras a assessoria jurídica é imprescindível para o negócio.

Depoimentos:

“Na mesa-redonda [Cenário atual sobre a incidência de ISS sobre royalties] podemos nos atualizar sobre as discussões tributárias extremamente relevantes para o setor de franquias, a incidência do ISS sobre royalties, conhecer tudo o que a ABF está fazendo, as estratégias que podem ser adotadas e as decisões do STF. [Este encontro] é muito bom, um evento que os advogados de franquias trocam ideias, se atualizam e, o que é muito importante, fazem networking”.
Luciano de Souza Leão – Grupo Bonaparte
“Parabéns à ABF. O evento é muito bem estruturado, com temas atuais e relevantes, e o formato nos possibilita trocar experiências e aprimorar a gestão das franquias. Na mesa [Omnichannel – Tendências da comunicação multicanal] achei muito interessante o conceito de mudança de drive. O franqueador tem que pensar em outros canais, mas também em segurança”.
Eloísa Crivellaro – CNA
Fotos: Marcel Uyeta e Keiny Andrade / Depoimentos: Divulgação ABF

 

Publicado em 17/09/2015