Grupo de 15 entidades líderes do varejo nacional leva a Brasília agenda positiva em comum


Grupo de líderes do varejo brasileiro em reunião com o ministro-chefe Afif Domingos

 
Representantes do setor reuniram-se com o ministro-chefe da Secretaria da Micro e Pequena Empresa, Guilherme Afif Domingos, e com o vice-presidente Michel Temer, entregando às autoridades uma inédita radiografia do varejo, que representa 22% do PIB e emprega 1 em cada 5 trabalhadores

Um grupo de 15 líderes das principais entidades representativas do varejo brasileiro reuniu-se com o ministro-chefe da Secretaria da Micro e Pequena Empresa, Guilherme Afif Domingos, nesta terça-feira (17) no gabinete do ministro em Brasília. A reunião antecedeu uma audiência com o vice-presidente Michel Temer para tratar de uma agenda positiva em comum do setor.


Cristina Franco, presidente da ABF, ao lado do vice-presidente Michel Temer e representantes do varejo, setor que responde por 22% do PIB

De acordo com estudo inédito e conjunto das entidades, que radiografa o setor no Brasil e foi entregue ao ministro, o varejo representa atualmente 22% do PIB e responde por 1 em cada 5 empregos gerados no País.

O grupo é composto pelas seguintes entidades: Associação Brasileira de Franchising (ABF), Sociedade Brasileira de Varejo e Consumo (SBVC), Associação Nacional de Restaurantes (ANR), Associação Brasileira de Shopping Centers (ABRASCE), Associação de Lojistas de Shoppings (ALSHOP), Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL), Instituto para Desenvolvimento do Varejo (IDV), Associação Brasileira de Redes de Farmácias e Drogarias (ABRAFARMA), Associação Brasileira de Supermercados (ABRAS), Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (ABRASEL), Associação Nacional dos Comerciantes de Material de Construção (ANAMACO), Associação Paulista de Supermercados (APAS), Associação Brasileira de Atacados de Autosserviço (ABAAS), Associação Brasileira de Relações Empresa Cliente (ABRAREC), Federação das Associações Comerciais do Estado de São Paulo (FACESP).


Eduardo Terra, presidente da SBVC entrega ao ministro Afif estudo inédito do varejo

 

Pauta conjunta
A presidente da ABF Cristina Franco abriu o encontro, agradecendo ao ministro a receptividade ao grupo e detalhando a pauta conjunta estruturada em seis tópicos: Simplificação das relações com as instâncias governamentais – o setor varejista entende que a burocracia afeta a relação entre empresas e órgãos governamentais; Maior aproximação do setor com o governo; Alternativas para manutenção do emprego; Análise das condições de crédito das empresas de varejo; Propostas para economia de água e energia e Intensificação da formalização das empresas de varejo.

“O ministro escutou atentamente e acolheu as questões em comum do varejo brasileiro. Ele se mostrou especialmente favorável à simplificação das relações com o governo, como também a ampliar e criar melhores condições à formalização do setor varejista”, declarou a presidente.

Para o ministro Afif, “mais empresas formais significa mais empresas pagando impostos e elas tendem a pagar menos e o governo a arrecadar mais, o que também por sua vez contribui para o combate à sonegação e à informalidade”.

Ainda de acordo com o ministro, persiste no Brasil uma injusta tributação das MPEs. “Temos que acabar com essa desigualdade, em que há muitas micro e pequenas empresas pagando mais impostos que as grandes”, ressaltou.

Com a iniciativa, os líderes têm como principais objetivos intensificar o diálogo com o Governo baseado em uma agenda positiva, visando combater os gargalos que impedem o desenvolvimento e a competitividade do setor.

Afif pediu ao grupo apoio a um estudo da Pasta que será apreciado pelo Congresso a respeito da revisão da tabela de alíquotas do Simples para as MPEs. Ele solicitou também o auxílio dos líderes varejistas no sentido de buscar a implantação de uma agenda positiva para o desenvolvimento do País e, por último, o apoio a uma campanha de conscientização para que os consumidores entendam o que pagam nos impostos, seja no comércio ou nos serviços públicos.