Balanço da ABF revela que o setor cresceu 16,2% em 2012

A ABF anunciou, no dia 5 de março, o desempenho do setor de franquias em 2012 e as expectativas para 2013, durante a coletiva de imprensa realizada na sede da entidade. O evento contou com a presença de representantes das empresas associadas, assessores de imprensa e jornalistas.

 

No inicio da apresentação, Ricardo Camargo, diretor executivo da ABF expôs aos participantes, um panorama econômico do Brasil, dados de crescimento do País em diversos setores e fez um comparativo com o sistema de franchising, setor que continua em plena expansão. Segundo a Associação, o faturamento total do segmento ficou na casa dos R$ 103 bilhões, crescimento 16,2% superior ao de 2011. Há quase uma década, ano a ano, o franchising tem performance positiva diversas vezes superior ao desempenho do PIB nacional que, em 2012, foi inferior a 1% (0,9%), conforme divulgado pelo IBGE na dia 1º  de março.

Balanço da ABF revela que o setor cresceu 16,2 em 2012

 

De acordo com o estudo realizado anualmente pela ABF, o franchising brasileiro gerou em 2012 mais de 103 mil novos empregos diretos, crescimento de 12,3% em relação ao ano anterior e totalizando 940 mil empregados. Em número de redes, cresceu 19,4%, saltando de 2.031 marcas, em 2011, para 2.426 em 2012. Já em relação ao número de unidades ou pontos, o segmento expandiu de 93.098 no ano de 2011, passando para 104.543 em 2012. 

 

O setor que mais cresceu em faturamento foi Hotelaria e Turismo, com 97,8%. Logo em seguida, vieram Limpeza e Conservação com crescimento de 44,5% e Informática e Eletrônicos com 32,5%. Por outro lado, os setores com menor desempenho foram, pela ordem, Fotos, Gráficas e Sinalização, com expansão de 1,6%, Negócios, Serviços e Outros Varejos, setor líder em faturamento, mas com apenas 2,6% de crescimento, e Educação e Treinamento, com 10,3%. 

 

Na opinião de Ricardo Camargo, diretor executivo da entidade, é considerado normal que o comportamento do setor de Fotos, Gráficas e Sinalização tenha tido uma performance tão tímida, já que há uma mudança comportamental mundial do consumidor neste ramo. `As pessoas estão deixando de revelar e imprimir suas fotos e imagens fora de casa, estão fazendo isso em equipamentos caseiros, impactando diretamente no modelo do serviço. Certamente, haverá uma migração, uma transformação neste formato`, prevê. 
Balanço da ABF revela que o setor cresceu 16,2 em 2012
Para 2013, a expectativa é de crescer 16% em faturamento, 9% em novas redes e 11% em novas unidades. A ABF projeta ainda mais de 11% de crescimento na geração de novos postos de trabalho para este ano. 

 

 

Por outro lado, a ABF considerou extremamente positiva a explosão do setor de Hotelaria e Turismo (97,8%), bem como de Limpeza e Conservação (44,5%) ou mesmo de Informática e Eletrônicos (32,5%). `Assim como a vida moderna impactou negativamente na área de fotografia e gráficas, acabou permitindo um amplo crescimento em turismo, serviços e equipamentos eletrônicos. No caso de Limpeza e Conservação, podemos dizer que o fato de a mulher estar definitivamente trabalhando fora de casa e a elevação no valor dos salários das domésticas foram determinantes na expansão das franquias de lavanderias, como 5àSec e DryClean USA. Já no caso de Hotelaria e Turismo, o que motivou, especialmente, a expansão atípica desta categoria foi o ingresso de novos players como a CVC, por exemplo, que adotou  o formato de franchising, trazendo consigo cerca de 700 novas unidades e um faturamento agregado considerável`, avalia o diretor. 

 

 

Em Informática e Eletrônicos, ainda segundo Camargo, o que motivou a forte aceleração de 32,4% foi a entrada de fabricantes de equipamentos ou operadoras de telefonia expandindo suas operações pelo formato de franquias, caso da Nokia, Samsung e Oi Franquias. 
Balanço da ABF revela que o setor cresceu 16,2 em 2012

 

 

Microfranquia
Os negócios enquadrados como Microfranquia, aqueles com investimento inicial de até R$ 50 mil e faturamento mensal máximo de até R$ 30 mil, tiveram um crescimento considerado estável, quando comparado ao universo das franquias tradicionais. Em faturamento, as microfranquias cresceram 22% em 2012 sobre 2011, saltando de R$ 3,7 bilhões para R$ 4,5 bilhões. Em número de redes, saltou de 336 para 368, uma evolução de 10% de 2011 para 2012. Já em unidades, pulou de 12.561 para 13.352, uma expansão de 6%.

 

 

Na participação percentual em relação às franquias tradicionais, em 2012 as microfranquias representaram uma parcela de 4,4%. Em 2011, esta participação era de 4,2%. No caso das marcas, a participação era de 17% em 2011 e, em 2012, caiu para 15,2%. Já no número de unidades a participação era de 13,5% em 2011 e diminuiu para 12,8% em 2012.

 

 

Para a ABF, este comportamento se justifica por certa acomodação no surgimento de novos negócios, bem como pela evolução de algumas marcas. `Muitos negócios, que eram enquadrados como microfranquias, evoluíram e deixaram de ser, quer seja pelo faturamento ou mesmo por um crescimento atípico nesta categoria nos anos anteriores. Era natural esta acomodação`, finaliza Ricardo Camargo.