Alta concentração de renda garante sucesso das franquias no DF

Fato Online – 23/03

Juro alto, inflação alta, crescimento baixo. O cenário na economia não é favorável, mas um setor se destaca: o de franquias. No Distrito Federal, as 3.266 unidades faturaram juntas R$ 10 bilhões em 2014, um crescimento de 16,7%. O crescimento do setor no DF foi superior à média nacional, de 7,7%. No Brasil, o faturamento foi de R$ 127 bilhões no ano passado.

Para Claudio Micciele, diretor da Associação Brasileira de Franchising (ABF), o sucesso do ramo no DF se explica pela alta concentração de população com renda elevada. “O Distrito Federal tem uma área pequena com uma grande população com alta renda e grande potencial de consumo”, disse. 

Ele explica que, em épocas de desempenho econômico fraco, as franquias surgem como possibilidade de investimento por serem menos arriscadas que um empreendimento iniciante. Outra razão para o sucesso do setor em Brasília é a alta taxa de sobrevivência de empreendimentos, de 80%. No cenário nacional, o DF fica em oitavo lugar no ranking

Entre os ramos que mais crescem dentro das franquias está o de alimentação, que concentra 33% das unidades no DF.

Luiz Carlos Carvalho, criador da rede de comidas típicas Panelinhas do Brasil, explica por que o ramo de alimentação atrai tantos investidores no Distrito Federal. “Brasília é muito ampla. As pessoas trabalham longe de onde moram e não voltam para almoçar em casa. O trânsito também atrapalha. Elas precisam de algo prático e barato. As franquias de alimentação atendem esse público”, explica.

Uma tendência apresentada na Brasília Expo Franquias, feira que acontece de 19 a 21 de março, é o modelo compacto de franchising de restaurantes. A rede Brasil Vexado, por exemplo, que exige um investimento de R$ 490 mil inicial para abertura de uma unidade, lançou um modelo por mais da metade do preço: R$ 200 mil. Com uma área construída menor, o restaurante compacto entrega pratos prontos em uma caixinha, estilo lançado pela rede China in Box.

Segundo a ABF, o faturamento do setor praticamente quadruplicou de 2003 a 2013. Pulou de R$ 29 bilhões para R$ 115 bilhões. Em 2014, o segmento ficou acima de outros segmentos como indústria e agricultura.

O número de franquias no Brasil ultrapassa 220 mil, com crescimento de 127% nos últimos 10 anos. Só no ano passado, 17.413 unidades foram abertas no Brasil, e 168 novas marcas surgiram, um crescimento de 6,20% em relação a 2013.