Franchising se adapta para manter crescimento de 8,3% em 2015

Número de redes em operação no Brasil supera 3.000 marcas e faturamento do setor de franchising atinge R$139,593 bilhões

Claudio Tieghi apresenta o balanço do franchising brasileiro em 2015

Resultados revelaram que o sistema de franquias enfrentou de forma resiliente e criativa a realidade econômica do País.

A ABF apresentou nesta sexta-feira (29) em coletiva de imprensa o balanço do desempenho do franchising brasileiro em 2015. Com resiliência e criatividade, o setor enfrentou a realidade econômica do País, crescendo 8,3% em faturamento na comparação com 2014, totalizando R$ 139,593 bilhões. Já a expansão das unidades de franquias foi de 10,1%, com 138.343 pontos de venda e o número de redes chegou a 3.073, um crescimento de 4,5% no mesmo período. No ano passado, 131 novas marcas ingressaram no franchising. O setor registrou, ainda, 1,189 milhão de empregos diretos e mais de 90 mil novos postos de trabalho gerados no ano passado.

“Os resultados são fruto de um trabalho desenvolvido de forma ética, séria, solidária e com parceria, que é a maneira do franchising fazer negócios e construir um sistema exitoso”, ressaltou a presidente da ABF, Cristina Franco, na abertura da coletiva.

O vice-presidente da ABF Altino Cristofoletti Junior evidenciou a relevância do franchising nacional, “um sistema resiliente que investe muito em capacitação, resultados e objetivos concretos”, afirmou.

Claudio Tieghi, diretor de inteligência de mercado, relacionamento e sustentabilidade, apresentou os resultados do setor no ano passado.

Entre os destaques revelados pelo balanço do franchising em 2015 está a maior capilaridade das redes, dentro e fora do País. De acordo com a pesquisa, o movimento do franchising para o interior do Brasil se tornou mais intenso, chegando a cidades com menos de 50 mil habitantes.

“Atenta a essa tendência, nos últimos anos, a ABF tem apoiado o mercado, levando informação e capacitando empreendedores por todo o Brasil, tendo a capilaridade como um dos seus pilares estratégicos”, explica Cristina.

O balanço de 2015 também revelou que o crescimento do setor se deu de maneira mais acentuada nas regiões Nordeste e Centro-Oeste em relação aos tradicionais centros de negócios do país. A presença do franchising nos municípios brasileiros atingiu 40% no ano passado, ante a 37% em 2014.

Em 2015, o trabalho em rede demonstrou ser um fator chave para a manutenção do crescimento do setor. As marcas usaram seu poder de negociação e o know-how compartilhado para enfrentar a nova realidade do País. “Essa estrutura permitiu que muitas redes não repassassem integralmente as pressões inflacionárias para o preço final de seus produtos e serviços. Além disso, as franquias, de forma geral, têm ticket médio compatível com o bolso do brasileiro”, afirma Tieghi.

Segundo Cristina Franco, a Associação tem acompanhado trimestralmente o desempenho e os desafios das franquias com o intuito de oferecer instrumentos para que o setor atravesse esse período da melhor forma possível. “As redes conseguiram manter um bom ritmo durante os três primeiros trimestres do ano passado, porém o desempenho do último trimestre foi inferior às expectativas, o que refletiu no balanço anual”, afirma a presidente.

Acesse na íntegra o Balanço do Desempenho do Franchising em 2015.

 

Foto: ABF Divulgação