Congresso ABF trata de integração de canais, Euroshop e traz case internacional

Assuntos são destaque na segunda parte do evento, que trouxe o case da Juan Valdez Café.

A parte final do 4º Congresso Internacional de Franchising ABF foi aberta com o painel ABF Talks: gestão do O2O (on-line para o off-line) – uma grande oportunidade, com a participação de José Renato Hopf, CEO da 4all, e o Luiz Brenner, fundador da DN Automação.

José Renato Hopf, CEO da 4all, e Luiz Brenner, fundador da DN Automação

Os especialistas falaram a respeito do desafio da integração dos canais. “A oportunidade digital e o desafio é levar a experiência digital a ser refletida no mundo físico”, disse Hopf. Fundador da Getnet, adquirida pelo Santander, ele decidiu criar a 4all, startup atualmente com 157 funcionários, para ajudar as empresas tradicionais a serem digitais. Integrando as mais diversas ferramentas, a plataforma ajuda na jornada de consumo das pessoas

No segundo ABF Talks do dia, Juarez Leão apresentou os insights extraídos da Euroshop, as inovações e inspirações vindas do continente europeu. Maior feira de varejo do mundo, realizado em Dusseldorf, na Alemanha, o evento chegou em sua 50ª edição.

Juarez Leão, diretor de relações institucionais da ABF

Muito interessante, segundo Leão, foi observar as sete dimensões da Euroshop: Marketing do ponto de venda, Expo e marketing de eventos ,Tecnologia de varejo, Iluminação, Visual merchandising, Shop fitting & store design e Food tech & energy management , dimensão que demonstra a grande preocupação dos europeus com a redução do consumo de energia.

Para o diretor da ABF, os pontos de destaque da feira foram a digitalização em soluções para o varejo, a customização, com a criação de soluções personalizadas para o cliente, o retorno da emoção e da experiência à loja física e o storytelling (a capacidade de contar histórias relevantes) não só para vender produto, mas através da arquitetura, do design, da iluminação de última geração. “A loja física ainda é a pedra de toque mais importante da marca. É onde acontece a verdadeira conexão do consumidor com o DNA da marca”, disse.

Lições da Juan Valdez Café

As lições do franchising pelo mundo foram transmitidas no case da Juan Valdez Café, narrado pelo CEO da companhia colombiana, Hernan Mendez, sob moderação de Marcelo Cherto, membro do Conselho de Associados da ABF.

Hernan Mendez, CEO da companhia colombiana Juan Valdez Café

O trabalho desenvolvido junto aos produtores, 96% deles pequenos, é a essência do café produzido pela Juan Valdez, empresa criada em 2002 a partir de uma cooperativa de cafeicultores colombianos.

E engana-se quem pensa que a marca tem origem no nome de um fundador da empresa, por exemplo. Para diferenciar o café produzido nas montanhas do país, a Federação de Cafeicultores da Colômbia decidiu criar um personagem, chamado Juan Valdez, “nome fácil de pronunciar em qualquer idioma”, disse o executivo. Essa foi a ideia. E a ideia foi um sucesso. Em 1970, eles criaram a marca de “café da Colômbia”. Todo esse trabalho feito com investimentos em propaganda e patrocínio projetou o café Juan Valdez. A marca que se tornou a mais conhecida na Colômbia e de maior projeção internacional pertence ao Fundo Econômico Colombiano de Café. “Nossa missão é agregar valor aos cafeicultores colombianos”, afirmou Mendez.

Três pilares fundamentam o trabalho da Juan Valdez: consciência, sabedoria e origem. “Queremos mostrar para os consumidores que temos uma história, inteligência e iniciativa”, ressaltou o executivo. Isso nos torna uma marca única, a única marca de café premium que tem uma relação com o produtor.

Segundo Mendez, um ponto importante no negócio é garantir que a experiência do cliente seja a mesma onde quer que ele esteja. “Não importa o país, queremos que a experiência seja sempre a mesma”.

Atualmente a Juan Valdez Café beneficia mais de 500 mil famílias produtoras, conta com 1.656 funcionários, está presente em 27 países, com lojas próprias, franqueadas e no varejo. Hoje, são 115 lojas pelo mundo e a companhia planeja chegar a 140 até o fim de 2017. No Brasil, a marca é comercializada apenas no varejo.

Mais do que criar um café, a Juan Valdez mostrou que sua principal estratégia foi criar uma marca, o que serve de exemplo para o Brasil, grande produtor e exportador de commodities como o próprio café, laranja, entre outros.

Fotos: Keiny Andrade